tavira ponte nova rio gilao
ALGARVE

Tavira: Município isenta 570 famílias de pagar rendas de habitação social

A Câmara de Tavira vai isentar até final do ano 570 arrendatários do pagamento de mensalidades de habitação social, para apoiar as famílias e minimizar os efeitos económicos da pandemia de covid-19, anunciou hoje a autarquia.

“O município de Tavira, consciente da fase sensível que as famílias atravessam, resultado da atual situação pandémica, procedeu à implementação de um conjunto de medidas excecionais e temporárias para minimizar o impacto da crise que se reflete no tecido social. Neste contexto, a autarquia isenta, até ao final do ano, 570 arrendatários/as do pagamento de rendas de habitação municipal”, justificou o município algarvio num comunicado.

A medida vai permitir apoiar agregados em “vulnerabilidade económica e social” devido à “perda de emprego e consequente quebra de rendimentos”, motivada pela quebra económica causada pela pandemia de covid-19, sobretudo no setor do turismo, a principal atividade económica do Algarve.

“A saúde financeira de muitas empresas, nomeadamente no setor turístico, ficou consideravelmente afetada, colocando em risco centenas de postos de trabalho e um significativo número de famílias viu o seu orçamento mensal reduzir drasticamente”, argumentou o município.

Considerando que a retoma da atividade turística vai ainda ser “lenta e progressiva”, o município decidiu “reforçar o apoio em termos de ação social”, área em que se tem verificado uma “procura crescente de respostas sociais de primeira necessidade” e uma “duplicação dos atendimentos presenciais”.

Os pedidos de apoio têm “particular incidência ao nível da ajuda alimentar, bem como do auxílio no suporte de despesas essenciais (água, eletricidade, medicação, entre outras)”, acrescentou a autarquia do distrito de Faro.

Esta medida junta-se ao fornecimento de refeições escolares gratuitas, até final do ano, para alunos do pré-escolar e do 1.º ciclo dos estabelecimentos de ensino básico do concelho sob responsabilidade da autarquia, que a Câmara de Tavira anunciou na quarta-feira.

“A situação social e económica das famílias residentes no concelho, assim como as condições em que as crianças e os jovens frequentam a rede de escolas públicas, é uma das preocupações da edilidade. Neste sentido, a adoção desta medida ajuda a dissipar as dificuldades sentidas nos agregados familiares”, justificou a auatarquia sobre o prolongamento das refeições escolares gratuitas até 31 de dezembro.

O município quantificou em 940 o número de alunos beneficiários de refeições escolares gratuitas, “725 alunos do 1.º ciclo e a 215 do pré-escolar”.

“Atualmente, a grande preocupação da autarquia recai sobre os constrangimentos causados pela doença covid-19, nomeadamente, em relação ao aumento da vulnerabilidade social das famílias, resultante do impacto direto provocado nos seus rendimentos. Como tal, a Câmara Municipal mantém-se alerta e continua a prestar todo o auxílio necessário ao bem-estar das famílias do concelho”, referiu ainda o município.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.060.859 mortos no mundo, resultantes de mais de 143,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.956 pessoas dos 832.891 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste