Trail: Atletas de 12 nacionalidades têm 72 horas para atravessar o Algarve

 

 

Uma centena de atletas, 85 homens e 15 mulheres, parte esta quinta-feira de Alcoutim, às 16h30, para a aventura de 300 quilómetros que os levará até ao Cabo de São Vicente, em Sagres, pelo interior do Algarve através da Via Algarviana.

Trata-se da prova de trail ALUT (Algarviana Ultra Trail), organizada pela Associação Algarve Trail Running (ATR), com o apoio da Região de Turismo do Algarve (RTA), da ANA – Aeroportos de Portugal e da Associação Almargem.

Estão inscritos atletas de 12 nacionalidades: Portugal, Espanha, França, Suécia, Escócia, Inglaterra, Luxemburgo, Polónia, Uruguai, Canadá, Estados Unidos da América e Japão. Têm 72 horas para percorrer os 300 quilómetros do percurso.

Entre eles estará o vencedor da primeira edição, João Oliveira, ultramaratonista do Chaves Run Team – Associação Desportiva Dragões de Chaves, que fixou o primeiro recorde do percurso em 43 horas. Repete também a participação a equipa vencedora de 2017 – a Helpo@Alut –, que se junta novamente à aventura com um cariz solidário.

Ester Alves, atleta da Salomon/Sunnto, depois de ter apoiado a organização no ano passado, através da orientação de treinos que decorreram no sentido inverso do percurso, alinha este ano na partida, sendo candidata a ficar na história da prova como a primeira mulher a concluir o percurso. Destaque ainda para o regresso de Patrícia Carvalho, da equipa ATR – Associação Algarve Trail Running, a única mulher inscrita a solo no ano passado, que foi forçada a abandonar a prova por lesão.

Apenas dez algarvios

Entre os 100 participantes, a lotação máxima do evento, apenas 10 são do Algarve, o que “mostra que o ALUT está no bom caminho para se afirmar definitivamente como um cartão de visita do Interior algarvio, que já despertou o interesse de atletas e das suas famílias nos quatro cantos do mundo”, afirma Bruno Rodrigues, da ATR.

Este responsável acredita que, para tal, contribuiu o facto de “desde a primeira edição ter sido possível mostrar aos atletas e às suas famílias o Algarve que está afastado das praias, que continua autêntico, genuíno e com uma grande riqueza cultural e paisagística.”

Apesar do crescente interesse no evento, a organização manteve a sua intenção de limitar as inscrições a 100 participantes.

“É uma prova de atletas para atletas. Gostamos que os atletas sejam conhecidos e tratados pelo nome e não pelo número do dorsal e, desde o início, definimos que 100 seria o limite das nossas capacidades para conhecermos e tratarmos cada atleta de forma individual, com toda a dedicação e atenção. Nos dias da prova essa atenção e dedicação estende-se a todas as equipas de apoio, familiares e amigos. O ALUT não é uma corrida, é uma viagem. Uma viagem interior, pelo Interior e nada disto é compatível com um evento de massas.”, justifica Germano Magalhães, também da ATR.

Quem não teve a sorte de conseguir um lugar nesta viagem ainda pode fazer parte da aventura, não só a apoiar os atletas, mas também através da participação nas caminhadas que terão lugar no sentido inverso ao da prova e que são organizadas pela Associação Almargem, a entidade gestora da Via Algarviana.

Para que ninguém perca um segundo da aventura destes atletas, a organização disponibiliza uma plataforma para acompanhamento da prova em tempo real na internet (live.alut.pt). A entrega de prémios realiza-se às 14h30 do próximo domingo, no farol do Cabo de São Vicente, concelho de Vila do Bispo.

Advertisements

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar
Tamanho da Fonte
Contraste