ALGARVE

Três meses depois da suspensão, Faro vai voltar a ter trotinetes partilhadas

[mobileonly] [/mobileonly]

Faro vai dispor a partir de terça-feira de 200 trotinetes partilhadas através de uma plataforma eletrónica de mobilidade que já disponibilizava carros partilhados e que lança agora este serviço mais sustentável, disse o responsável da empresa em Portugal.

David Ferreira da Silva, responsável pela plataforma Bolt, contou à Lusa que, depois dos veículos automóveis, a empresa vai também disponibilizar trotinetes em Faro, a primeira cidade portuguesa onde vai proporcionar o serviço.

O Algarve volta assim a dispor destes veículos, para já apenas em Faro, depois de em novembro passado – 10 meses depois do início da operação na região -, as trotinetes elétricas terem sido retiradas das ruas da capital algarvia e de Portimão por motivos de opção empresarial ou falta de rentabilidade.

“Neste momento, cá em Portugal, só temos carros, se bem que temos diferentes tipos de categoria e para diferentes tipo de utilizador, mas tentamos dar também diferentes soluções e agora vamos complementar essa oferta de mobilidade para os utilizadores com as trotinetes”, afirmou.

David Ferreira da Silva referiu que a capital algarvia conta com cerca de uma dezena “de pontos de recolha e entrega”, estimando que “depois no verão” o serviço possa ser expandido “para outras cidades, quer no Algarve, quer no resto de Portugal”.

Fonte do gabinete do presidente da Câmara de Faro considerou o serviço como “positivo para uma mobilidade mais limpa”, mas sublinhou que, apesar de ter havido reuniões com a empresa, se trata de uma oferta privada, que vai no futuro ser reforçada com um “serviço próprio” da autarquia, em data a definir.

A mesma fonte disse ainda à Lusa que o serviço agora oferecido pela Bolt – nome que a antiga plataforma Taxify assumiu no ano passado, agora com um conceito mais abrangente – está sujeito a “todas as regras aplicáveis a este tipo de veículos”, como as “previstas no código da estrada”, exemplificou.

David Ferreira da Silva lembrou que há uma preocupação de “haver cada vez menos viagens em carros particulares” e “uma consciência maior das pessoas para se moverem de forma sustentável”, pelo que esta oferta vem ao encontro dessa necessidade.

O custo será de “um euro para desbloquear” a trotinete e de “15 cêntimos por minuto”, sendo “a tarifa máxima por dia de 19 euros”, quantificou a mesma fonte, frisando que os veículos estão limitados a uma velocidade máxima de 25 quilómetros por hora, embora os utilizadores possam, na aplicação, reduzir esse valor até aos 15 quilómetros por hora.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: