Troca de livros escolares ajuda pais a poupar

Todos os anos o cenário repete-se: os preços sobem e os pais lamentam-se. Para aliviar as famílias, a autarquia de Silves está a promover o projeto “Manuais Solidários”, cuja ideia é promover a troca de livros escolares. Dar livros que já não se usam e adquirir os que se necessitam é o grande objetivo desta iniciativa solidária, que pode significar uma poupança superior a 130 euros para cada encarregado de educação.

O projeto “Manuais Escolares” está a decorrer até 15 de agosto, na biblioteca municipal de Silves, uma iniciativa realizada pela câmara de Silves.

A ideia é criar uma rede social de partilha, encorajando as famílias e todas as escolas do concelho para a reutilização dos livros escolares. “A troca de manuais escolares vai permitir a redução de custos de aquisição dos mesmos pelos encarregados de educação”, salienta a autarquia, que tem ainda como objetivo “uma correta racionalização do uso dos livros, prolongando o seu tempo útil de utilização, bem como uma maior consciencialização de todos os munícipes para as práticas de reutilização e de reciclagem”.

O projeto é inédito no município e pretende ajudar os pais na ´reentrée´ escolar (setembro), que costuma representar um grande fardo para as famílias. Para os pais e encarregados de educação, a abertura das portas das escolas significa que eles também têm de abrir as portas do orçamento familiar. E, na maioria dos casos, a fatura dos manuais escolares pode ultrapassar os cento e trinta euros!

Porém, com este projeto solidário, o regresso às aulas não terá de pesar tanto no orçamento das famílias. Isto porque, alguns livros são válidos para vários anos.

Livros “novos” a partir de 1 de setembro

Nesse sentido, as famílias e os alunos de todos os estabelecimentos de ensino do município de Silves são convidados a entregar os livros escolares de anos anteriores na biblioteca municipal, ou nas escolas aderentes à receção dos manuais, até ao dia 15 de agosto.

A partir desta data, os responsáveis da biblioteca vão começar a avaliar e a analisar o estado de conservação dos livros, organizando-os de seguida consoante as disciplinas e os anos de escolaridade.
“Os manuais serão depois inseridos numa base de dados criada para o efeito e que será disponibilizada ao público no dia 20 de agosto, quer na biblioteca municipal e nas escolas, quer no site da autarquia”, adianta a câmara de Silves, garantindo que, a partir de 1 de setembro, “os alunos vão poder levantar na biblioteca os livros que irão necessitar para o próximo ano letivo”.

Em relação aos livros que sobrarem, a autarquia refere que estes serão encaminhados para o setor de ação social, sendo depois distribuídos por organizações locais.

Nuno Couto/Jornal do Algarve

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste