Vacinas para a gripe disponíveis a partir do próximo mês

Chegam nos primeiros dias de Outubro às farmácias, centros de saúde e hospitais, os primeiros lotes de um milhão e 800 mil vacinas contra a gripe. Nesta época e nos dois anos seguintes, 330 mil idosos carenciados podem recebê-la gratuitamente nos centros de saúde.

Para a época gripal deste Outono/Inverno, as autoridades de saúde deram indicações à indústria farmacêutica e farmácias para o aprovisionamento de um milhão e 800 mil vacinas contra a gripe sazonal. O número não é muito diferente dos stocks de épocas anteriores à perturbação causada pela gripe A, no ano passado.

As autoridades de saúde mantêm a possibilidade de uso de uma parte das vacinas compradas para a pandémica (monovalente, pois a estirpe nela usada é a H1N1). No entanto, segundo a Direcção-Geral de Saúde (DGS) indicou ao JN, através de Ana Leça, directora da Divisão dos Serviços de Prevenção e Controlo da Doença, as recomendações sobre quem a deve tomar “serão emanadas posteriormente”. Em Agosto, Ana Jorge referiu apenas que se irá” manter a vacinação com a vacina monovalente para pessoas com mais de seis meses e que não tenham indicação para a trivalente”. A primeira será “distribuída gratuitamente através dos centros de saúde”. Recorde-se que, no ano passado, foram compradas seis milhões de doses de vacina contra a gripe A, mas houve renegociação, tendo sido entregues apenas dois milhões e aplicadas cerca de 700 mil. Um milhão das monovalentes encomendadas foi convertido na entrega faseada por três anos de 330 mil vacinas “actualizadas” quanto às estirpes, que na época que se avizinha são três.

Para este ano foi fabricada uma vacina trivalente, que integra três estirpes: a H3N2, a B e a que emergiu no ano passado lançando os alarmes de pandemia, a H1N1.

No começo de Agosto, a ministra da Saúde já tinha anunciado que 330 mil pessoas com mais de 65 anos, residentes em lares ou internados em unidades de cuidados continuados, bem como os beneficiários do Complemento Solidário do Idoso, vão ter acesso a vacinação com a trivalente, de forma gratuita. A DGS, questionada pelo JN, esclareceu que as doses assim ministradas serão garantidas directamente pelos centros de saúde, sem que o utente careça de passar pela farmácia. Já os utentes abrangidos pelo regime geral terão uma comparticipação de 37% sobre o preço de venda ao público (7,28 euros).

A intensificação da campanha vacinal junto das pessoas com mais de 65 anos tem propósitos de prevenção, já que é nessa faixa etária que predominam as doenças cardio-respiratórias, que fragilizam as defesas do organismo perante uma infecção viral. Mas vacinar mais idosos contra a gripe faz parte também de um compromisso que Portugal subscreveu a nível europeu: o país deveria, até ao corrente ano, ter garantido que 75% dessa população recebesse imunização. Ora, este ano alcançou-se apenas 52,2% da taxa de cobertura. As 330 mil vacinas gratuitas a ministrar nos próximos três anos permitirão recuperar o atraso.

pub

 

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste