“Vamos superar a crise sem perder a dignidade”

.

“A solução para a crise está no talento dos portugueses que, em 900 anos de história, sempre superaram as dificuldades sem perder a dignidade”, disse Paulo Portas, em Paris, à margem de um encontro com o seu homólogo francês, Laurent Fabius.

Depois de dois dias de reuniões com empresários franceses e luso-franceses e de um encontro, ontem à tarde, com o seu homologo francês, Laurent Fabius, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, falou duas vezes à imprensa.

Primeiro, ao fim do dia, na embaixada, falou rapidamente com os correspondentes da imprensa nacional – anunciou um investimento de oito milhões de euros da empresa de engenharia francesa Altran, na zona do Fundão, regozijou-se com as posições do presidente do eurogrupo, Jean-Claude Juncker, sobre as “recompensas” para os países que cumprem as condições do programa de ajustamento e disse ter os mesmos pontos de vista que Fabius sobre a necessidade de investimentos e de políticas de crescimento na Europa.

“Lá” e “fora”

A seguir, na cerimónia de inauguração de um hotel parisiense reabilitado pela empresa portuguesa Grupo Catarino, falou para a imprensa da comunidade portuguesa local e respondeu a todas as perguntas – ao contrário do que acontecera minutos antes quando fugira a falar sobre política interna e uma eventual crise no Governo e na coligação a propósito do polémico relatório do FMI, revelado na véspera.

Interrogado sobre se a solução para a crise portuguesa “está no estrangeiro” (designadamente na emigração), Paulo Portas respondeu deste modo: “A solução está no nosso talento. Ao longo de 900 anos, quando tivemos dificuldades superámo-las sem nunca perdermos a dignidade. Por isso digo que a solução para os nossos problemas está na nossa capacidade de ultrapassar obstáculos e isso pode acontecer ‘lá’ (em Portugal), ‘fora’ (no estrangeiro) ou ‘lá e fora'”.

Daniel Ribeiro (Rede Expresso)

pub

 

 

pub

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste