COVID-19

VRSA: Restauração e hotelaria reinventa-se para sobreviver à pandemia

Para sobreviver aos próximos meses, com a pandemia de covid-19 e a crise económica, alguns empresários da restauração e hotelaria do concelho de Vila Real de Santo António reinventaram os seus negócios.

O restaurante Muxama, em Monte Gordo, criou os “Cestinhos do Muxama”, que consistem num menu surpresa com produtos frescos e variados da gastronomia local, para duas pessoas, com entrada, prato principal e sobremesa, que pode ser entregue em casa dos clientes.

A gerência do espaço lançou também o evento “Covid Days”, que oferece descontos diretos de 20% durante o período de confinamento em todos os produtos. No caso das refeições, o desconto é crescente, ou seja, “sempre que o cliente repetir a sua visita para almoçar ou jantar, aumenta de 5 em 5% até um máximo de 35%”, segundo o comunicado do restaurante.

Em parceria com o hotel Apolo, em Vila Real de Santo António, o restaurante propõe “algo mais romântico” com um valor de 80 euros por casal. Este pacote inclui a degustação do “Cestinho do Muxama” servido numa das habitações do hotel, onde os clientes podem passar a noite e tomar o pequeno-almoço do dia seguinte.

Para a época do Natal, o restaurante tem prevista a organização de jantares à medida dos clientes, “embora com imensas dúvidas de como o fazer, num clima de segurança e de tranquilidade”.

“Não podemos baixar os braços, temos e inovar e tentar vencer esta crise pandémica e financeira” durante os próximos meses “de deserto”, acrescenta.

A pequena vila piscatória de Monte Gordo tem uma taxa anual média de ocupação hoteleira de cerca de 70%, sendo que no verão recebe mais de 60 mil turistas por dia, na sua maioria portugueses.

Durante o inverno, os turistas ficam reduzidos a cerca de 5 mil turistas durante a semana, nomeadamente holandeses, italianos, suecos e atletas internacionais que vêm estagiar para o Complexo Desportivo de Vila Real de Santo António.

Durante o fim de semana o número “quase duplica” com os turistas de curta duração, nomeadamente portugueses e espanhóis, “que que procuram os mais de 100 restaurantes que existem na vila de Monte Gordo para almoçar e jantar”.

Com o concelho de Vila Real de Santo António na lista de risco de contágio e novas medidas restritivas, a vila de Monte Gordo “está deserta, sem turismo, com poucos residentes nas ruas e com mais de 50% dos comércios, restaurantes e hotéis fechados”.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste