.
ALGARVE ÚLTIMAS

VRSA: “Toca a Ajudar” angaria mais de 4 mil euros para a luta contra o cancro

.
.

Grupo de amigos, de Vila Real de Santo António, insentivados por Filipa Gomes, meteram mãos à obra e organizaram o espetáculo solidário. Quem quiser colaborar ainda o pode fazer adquirindo “t-shirts” da iniciativa

.

DOMINGOS VIEGAS

O movimento “Toca a Ajudar”, criado em Vila Real de Santo António, conseguiu angariar no início deste mês de julho 4350 euros para ajudar a combater o cancro. A verba já foi entregue à Associação Oncológica do Algarve e resultou da receita de um espetáculo solidário e de outros donativos.

O espetáculo, que decorreu no Centro Cultural António Aleixo, reuniu diversas bandas e artistas, locais e da região, que colaboraram desinteressadamente nesta causa. Quem não teve possibilidade de adquirir o bilhete e de assistir ao evento colaborou com o seu donativo para um conta bancária criada para o efeito.

“O resultado foi magnífico. Além dos artistas, tivemos a ajuda de cerca de quatro dezenas de comerciantes, restaurantes e cafés, bem como de outras entidades. A câmara municipal cedeu o espaço, as pessoas aderiram e juntaram-se a esta causa”, explica Filipa Gomes, mentora da iniciativa e, também ela, a sofrer atualmente um problema oncológico.

“Estou a passar por a mesma situação, mas o objetivo não foi angariar dinheiro para mim. Este grupo de amigos juntou-se para ajudar todas as pessoas que passam por estes problemas e pensámos que a melhor forma de o fazer era contribuir para o magnífico trabalho que está a ser desenvolvido pela Associação Oncológica do Algarve”, frisa Filipa Gomes, educadora de infância na cidade pombalina.

.
.

A impulsionadora da iniciativa recorda que “se não fosse a Associação Oncológica do Algarve, os algarvios teriam de se deslocar a Lisboa, por exemplo, para fazer tratamentos de radioterapia” e sublinha que aquela associação “também fornece o transporte para quem precisar de fazer os tratamentos”.

O grupo que colaborou nesta ação também instalou um bar no centro cultural da cidade pombalina, que funcionou durante o espetáculo, com bebidas cedidas por estabelecimentos locais, contribuindo assim para a receita final. Todo o material que sobrou, principalmente águas e sumos, foram posteriormente oferecidos ao Centro de Acolhimento Temporário da Santa Casa da Misericórdia e aos Bombeiros Voluntários.

Quem não foi a tempo de colabora ainda o pode fazer adquirindo uma t-shirt do evento que pode ser solicitada na página que aquele movimento criou no facebook.

“Ainda estamos a trabalhar no mesmo projeto, através da venda das t-shirts que foram oferecidas por uma estamparia. E queremos continuar com o ‘Toca a Ajudar’, não só colaborando com a Associação Oncológica mas também com outras entidades. Queremos continuar a ajudar ainda com mais força”, garante Filipa Gomes.

.

.

.

.

Tamanho da Fonte
Contraste