ALGARVE

Eurocidade do Guadiana já conhece linhas de financiamento a que se pode candidatar

 

A assembleia geral da RIET realizou-se no Fundão

A Eurocidade do Guadiana participou na assembleia geral da Rede Ibérica de Entidades Transfronteiriças (RIET), realizada no Fundão, e ficou a conhecer as linhas de financiamento a que se pode candidatar e os fundos de cooperação pós 2020.

Aquela ‘eurocidade’, constituída pelos municípios de Ayamonte, Castro Marim e Vila Real de Santo António, esteve representada pelo vice-presidente do município de Vila Real de santo António, Luís Romão, concelho que assume, atualmente, a presidência daquela entidade.

A ocasião “constituiu também uma oportunidade para promover o desenvolvimento sustentado do território, procurando encontrar respostas e soluções para os problemas que afetam os três municípios integrados nesta fronteira luso-espanhola que une as regiões do Algarve e da Andaluzia”, explica a edilidade vila-realense.

Tratou-se da primeira reunião da RIET em que a Eurocidade do Guadiana participou desde que foi reconhecida como Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT). O reconhecimento da Eurocidade do Guadiana como AECT torna mais fácil a cooperação transfronteiriça e transnacional, dando-lhe, por exemplo, a possibilidade de se candidatar diretamente aos fundos europeus e de os gerir.

Através deste estatuto, concedido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento e Coesão, pode também ser confiada à Eurocidade do Guadiana a execução de programas cofinanciados pela União Europeia ou de outros projetos de cooperação transfronteiriços.

“Acreditamos que a Eurocidade do Guadiana tem amplas possibilidades de construir uma estratégia para o desenvolvimento do território onde está inserida, procurando atenuar as limitações provocadas pela periferia dos três municípios. Ao agirmos em conjunto, ganhamos escala e potenciamos as nossas metas”, afirma Luís Romão.

Para chegar a estes objetivos, a Eurocidade encontra-se, entre outros projetos, a desenvolver uma marca turística que ultrapassa as margens do Rio Guadiana e valoriza os equipamentos existentes nas fronteiras do Algarve e da Andaluzia, conferindo economia de escala a cada um dos municípios.

A Eurocidade do Guadiana “é um projeto que vai além da cooperação institucional e pretende o fortalecimento na ligação já existente entre os municípios de Ayamonte, Castro Marim e VRSA, promovendo a convergência económica, social, cultural, turística e ambiental entre os territórios”, explica a autarquia vila-realense.

A estrutura, criada em janeiro de 2013, foi inicialmente constituída pelos municípios de Ayamonte e Vila Real de Santo António. Na sequência das relações de proximidade territorial e cultural existentes, o concelho português de Castro Marim juntou-se à Eurocidade em maio do mesmo ano.

A presidência da Eurocidade é atribuída rotativamente a cada um dos municípios por um período de dois anos. Depois de Ayamonte ter assumido a presidência no primeiro biénio e Castro Marim no segundo, é agora a vez de Vila Real de Santo António liderar o organismo.

Advertisements
%d bloggers like this: