Jovens vão “pagar” alojamento com companhia aos idosos

O conceito é simples: colocar estudantes do ensino superior a viver em casa de idosos. “Os jovens universitários compensam alojamento com companhia e apoio, enquanto os seniores retribuem companhia com alojamento”, explicam ao JORNAL do ALGARVE os responsáveis da Universidade do Algarve. A experiência chega à região, já no próximo mês de setembro, para responder à enorme e alarmante necessidade de alojamento universitário no Algarve. E tudo por culpa do ‘boom’ do alojamento local para o turismo

O programa social de alojamento para hospedar estudantes da Universidade do Algarve (UAlg) em casa de seniores, em articulação com as autarquias e a associação de estudantes, vai arrancar no próximo ano letivo, já a partir de setembro, revelou Laura Alves, do gabinete de comunicação da academia algarvia, ao JORNAL do ALGARVE.

Esta experiência, que terá uma duração indeterminada, pretende atenuar os problemas financeiros dos jovens estudantes do ensino superior e, ao mesmo tempo, combater a solidão dos idosos através da partilha de habitação.

O problema dos estudantes deslocados que estudam no Algarve – cerca de 60 a 65% do total dos oito mil alunos da universidade – é cada vez mais grave. Muitas das casas e dos quartos que eram anteriormente destinados a alugueres deixaram de estar disponíveis para os estudantes e passaram a estar associados ao alojamento local para o turismo, o que fez escassear – ou até mesmo acabar – com a oferta para estudantes.

“Em suma, os seniores retribuem companhia com alojamento e os jovens universitários compensam alojamento com companhia e apoio”, sublinha Laura Alves, frisando que “este programa permite não só estes ‘ganhos’ individuais, mas também benefícios coletivos”.

A ideia não é nova – já existe noutras instituições do país –, como salientam os promotores do projeto, que entendem ser uma resposta adequada nesta região, permitindo aos “estudantes carenciados que possam usufruir de acomodação com pessoas idosas que vivem sozinhas e que necessitam de companhia”.

Tal como acontece noutras regiões do país, os responsáveis colocam critérios rigorosos na seleção dos alunos que podem ir viver com os idosos. Em primeiro lugar, serão privilegiados estudantes com carências económicas e, depois, será feita uma triagem dos candidatos, de maneira a escolher aqueles com o perfil ideal para o programa. As condições da casa também serão avaliadas, para atestar que o estudante tem as condições necessárias para residir com o idoso…

Leia a notícia completa na edição em papel.

NUNO COUTO

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste