Tempo de luta, dor e profunda tristeza

Fernando Reis

A morte saiu à rua para ceifar a vida do nosso jornalista Domingos Viegas e do jovem Daniel Neves, de 21 anos, ambos naturais do concelho de Castro Marim. À dor de perdermos uma pessoa fundamental na empresa, à qual dedicou mais de vinte anos da sua vida e onde era um elemento fundamental da redacção do Jornal, junta-se a dor de ter morrido também, um jovem, na flor da idade, que conhecíamos bem, por ter feito um estágio escolar numa outra empresa nossa e de quem tínhamos as melhores referências. Muito educado e bom trabalhador, passava o verão, enquanto nadador salvador, na nobre missão, de salvar vidas. Infelizmente a sua não teve salvação.
Não temos palavras para exprimirmos a grande consternação que este acidente causou nas localidades de Vila Real de Santo António e Castro Marim e um pouco por todo o Algarve.
Sobre o Domingos Viegas, as muitas manifestações de pesar e os grandes elogios públicos que lhe têm sido feitos, dizem bem das suas grandes qualidades profissionais e humanas.
Como jornalista do Jornal do Algarve, o melhor elogio que lhe podemos fazer é que quando pensamos no vazio que nos deixa, não sabemos como iremos conseguir preencher a sua ausência. Ele era alguém por quem nutríamos grande carinho e amizade. Alguém que já fazia parte da família. Era a alma da redacção. Um jornalista dedicado, sério e competente, que cresceu connosco e a quem confiávamos de olhos fechados a Direcção do Jornal. Um polivalente que não regateava esforços para servir o Jornal e ao serviço do qual acabou por perder a vida.
Para ele a nossa eterna gratidão e a dor enorme de o termos perdido. Fica a fazer-nos muita falta e principalmente à família, a quem acompanhamos na sua imensa dor e tristeza. 
As nossas sentidas condolências e do Jornal do Algarve, também para a família do Daniel, a quem acompanhamos no seu profundo pesar, dor e tristeza.
Até sempre Domingos e Daniel. Jamais os esqueceremos!

Fernando Reis

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste