ALGARVE

Vila do Bispo forma 24 operacionais em desfibrilhação automática

Formação em DAE

No âmbito do projeto de colocação de desfibrilhadores automáticos externos (DAE) na via pública no município de Vila do Bispo, o serviço municipal de proteção civil formou, entre os dias 3 e 7 de setembro, 24 operacionais DAE, anunciou a autarquia.

Os formandos, que são colaboradores da Câmara Municipal, Santa Casa de Misericórdia, empresários e militares da GNR de Vila do Bispo, receberam formação específica em Suporte Básico de Vida e Desfibrilhação Automática Externa.

A primeira fase do projeto começou com a formação destes 24 operacionais DAE, que são todos voluntários. Ainda nesta fase serão instaladas duas cabines na via pública, uma na freguesia de Vila do Bispo e Raposeira, em frente ao Centro Cultural, e outra na freguesia de Sagres, na Avenida Comandante Matoso, que estarão equipadas com 1 desfibrilhador automático externo.

Desta forma o concelho conta com o total 74 colaboradores (Operacionais DAE), dos quais 50 são operacionais dos Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo, habilitados a utilizar os DAEs em caso de paragem cardiorrespiratória.

Os DAEs são dispositivos eletrónicos portáteis que em situações de paragem cardiorrespiratória analisam o ritmo cardíaco e nas situações indicadas aplicam um choque elétrico com o intuito de se retomar um ciclo cardíaco normal e assim evitar a morte da vítima.

A paragem cardiorrespiratória de origem cardíaca é a principal causa de mortalidade nos países desenvolvidos. Em Portugal estima-se que ocorram 10.000 casos todos os anos, acontecendo quase sempre de forma súbita, inesperada e fora do meio hospitalar. Na grande maioria dos casos o único tratamento eficaz é a desfibrilhação elétrica (choque) e o fator mais importante para o sucesso da intervenção é o tempo que decorre entre o colapso da vítima e o início de manobras de Suporte Básico de Vida e a utilização de um desfibrilhador.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste