ALGARVE CULTURA

Confraria do Atum celebra 7º Capítulo anual em VRSA

.
[mobileonly] [/mobileonly]

A Confraria do Atum de Vila Real de Santo António (VRSA) promove o 7º Capítulo na sexta-feira e sábado (28 e 29 de fevereiro), uma festa e encontro anual com várias confrarias gastronómicas nacionais e internacionais que tem prevista a participação de cerca de 300 pessoas.

O evento vai contar com mais de 40 confrarias participantes, incluindo 10 com origem algarvia, que se juntam a partir de sexta-feira (28 de fevereiro) numa reunião de trabalho na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, em VRSA, a pedido da Federação Portuguesa de Confrarias Gastronómicas.

Esta reunião de trabalho servirá para “discutir a forma como nos organizamos e preparamos”, referiu ao JORNAL DO ALGARVE o “Arrais” e presidente da direção da Confraria do Atum, António Cabrita.

O primeiro dia deste evento termina com um jantar temático sobre o atum, na Escola de Hotelaria e Turismo de VRSA.

No sábado (29 de fevereiro), dia principal do evento onde o atum é rei, decorre pelas 09:00 uma receção às confrarias no Arquivo Histórico de VRSA, seguido de um pequeno-almoço no restaurante “Os Arcos”.

Uma hora depois, as confrarias e os seus membros vestidos com as fardas oficiais vão desfilar pela Avenida da República até à Praça Marquês de Pombal e, “como já é tradição”, com a banda da Associação Cultural de VRSA à sua frente.

A presidente da Câmara Municipal, Conceição Cabrita, vai promover uma sessão de boas vindas às confrarias presentes, com participação de António Cabrita e de um representante do Conselho Europeu de Confrarias Gastronómicas (CEUCO).

Ao sair da Câmara Municipal, todas as confrarias cumprem outra tradição, ao juntarem-se numa fotografia de grupo junto do obelisco da praça central da cidade.

Pelas 10:45 começa a cerimónia capitular no Centro Cultural António Aleixo, onde será divulgada a primeira novidade: a apresentação do hino oficial da Confraria do Atum, escrito pelo letrista de fado Carlos Escobar e musicado por Ricardo Martins.

A Confraria do Atum, que comemora este ano 12 primaveras, explicará depois a recente incorporação da antiga associação ANAVREAL na confraria vilarealense, pois esta “encontrava-se inativa desde 2002”.

A cerimónia segue com um momento musical em acústico protagonizado pelo Al Guitar Duo, composto pelos algarvios André Ramos e Luís Fialho.

O diretor da Escola de Hotelaria e Turismo de VRSA, Manuel Serra, procederá à oração de sapiência, dando início à discussão sobre a importância da temática do atum e será assinado um protocolo de colaboração entre a instituição de ensino e a Confraria do Atum, para futuras “trocas de experiências”.

Pouco depois, a cantora algarvia Susana Travassos sobe ao palco do Centro Cultural António Aleixo para uma pequena atuação, que será a abertura da receção de treze novos confrades, quatro deles de honra, em forma de homenagem. A confraria passa assim a ter 89 confrades efetivos quem juram “em consciência e honra” a defesa do atum.

As homenagens serão feitas ao Grão Mestre da Confraria do Queijo da Serra da Estrela, Manuel Leal Freire, ao proprietário do restaurante “O Coração da Cidade”, Luís Camarada, ao autor do hino da Confraria do Atum, Carlos Escobar e à Escola de Hotelaria e Turismo de VRSA.

A cerimónia termina com um banquete à hora de almoço na Quinta do Sobral, no concelho de Castro Marim, com a habitual troca de lembranças.

A Confraria do Atum tem como principal missão defender e promover as tradicionais formas de se confecionar o atum, através de encontros, demonstrações gastronómicas e outras iniciativas.

Os encontros mensais organizados pela confraria algarvia decorrem sempre num restaurante diferente e contam com cerca 60 pessoas. A Confraria do Atum, segundo António Cabrita disse ao JA, esteve presente no ano passado em 34 capítulos de diferentes confrarias a nível nacional e internacional, como por exemplo na Galiza (Espanha).

Os capítulos anuais desta confraria têm a “preocupação de andar a girar pela Eurocidade”, tendo já decorrido em Castro Marim e em Ayamonte (Espanha).Graças a estas iniciativas, “se calhar, hoje fala-se muito mais de atum em VRSA do que se falava nos últimos anos”, concluiu o presidente da Confraria do Atum ao JA.




WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: