Deputado do PSD admite “mecanismo de obrigatoriedade” para médicos virem para o Algarve

O deputado algarvio Cristóvão Norte (PSD) admitiu ontem, em Faro, que o Governo poderia adotar um mecanismo que obrigasse os médicos a trabalhar no Algarve – e noutras regiões carenciadas -, em vez de poderem optar pelos hospitais.

“Portugal não tem um problema do número de médicos. Portugal tem um problema de distribuição geográfica dos médicos”, salientou o parlamentar algarvio, numa manifestação à porta da unidade hospitalar de Faro, que juntou cerca de 60 pessoas, incluindo representantes do Sindicato Independente dos Médicos, da Ordem dos Enfermeiros e o deputado algarvio João Vasconcelos, do Bloco de Esquerda.

Nesta manifestação, Cristóvão Norte disse que o Estado tem que ponderar essa necessidade. “Eu falo a título pessoal, mas não excluo nenhum mecanismo, que pode passar até por avaliar se faz sentido criar algum caráter de obrigatoriedade. Estas pessoas pagam impostos e, por isso, não têm de ficar mais de 1000 dias, como ficam na ortopedia, ou 776 dias, como ficam na estomatologia, privados do acesso à saúde, em desespero”, frisou.

O deputado do PSD adiantou ainda que, de 2016 para 2017, as queixas no país subiram 18% em relação ao SNS, enquanto, no Algarve, “dispararam 103%”, de 2.700 para 5.500 queixas, revelou.

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste