CULTURA

Associação “Folha de Medronho” com intensa programação para outubro

Cabrita

É com o lançamento do livro-objecto da Edições da Folha e com o espetáculo do performer santomense Dério Quinto que arranca, no dia 2 de outubro (sexta-feira da próxima semana), a programação para o mês de outubro da associação “Folha de Medronho”, anunciou aquela organização.

O lançamento de um livro, uma performance, música e uma instalação são as propostas, diversas, “que rebentam com pujança pelo ramo comum que quer ver a manifestação cultural a retomar a uma vida sem as máscaras (onde não nos reconhecemos) e sem a distância de segurança (que torna tudo impessoal)”, enuncia.

A “folha” está sediada em Loulé, é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve a sua actividade, no sector da criação, produção e realização das artes performativas, desde 2017, tendo realizado já inúmeros projectos e iniciativas.

“No âmbito da criação e circulação artística importa-nos, uma vez mais, fortalecer o tecido social e cultural, e das relações de trabalho, seja pelo envolvimento de outras entidades da região, ou pelo envolvimento de entidades que gerem equipamentos culturais, criando itinerários diversificados e o estabelecimento de baixo para cima”, conclui.

No dia 2 de outubro, 16:00 será lançado o livro “As Primas de Godot – notas de uma criação”.

É com este primeiro livro-objecto que a “folha de medronho” entra no campo editorial em exclusivo – já que é parceira da companhia Lendias d´Encantar/Beja nas edições da Novas Dramaturgias -, no qual se junta fotos e material de divulgação, desenhos, estudos, enfim, um resumo dos processos criativos experienciados, para a peça “As primas de Godot” (cuja estreia aconteceu em Novembro de 2020, no Cineteatro Louletano).

A performance “Cinzas de Falcão”, na Casa Lefur, em Loulé, sobe ao palco no dia 2 de Outubro, às 17:00. “Cinzas de Falcão” é uma viagem nostálgica às memórias da ilha (São Tomé e Príncipe). Os sons dos tambores e apitos vão conduzir-nos às lembranças dos heróis que lutaram pela sua liberdade somente podendo contar com a força do seus corpos exaustos e os feitiços da mamã natureza. O espetáculo também é um apelo a acreditar que as utopias podem se tornar realidades “Kelembê”. No capítulo da música, apresenta-se João Cabrita, no Auditório do Solar da Música Nova, dia 10 de Outubro, pelas 17:00

Amplamente reconhecido no panorama musical, João Cabrita é músico, compositor e director musical. Com uma carreira de mais de 30 anos, em colaborações com Sérgio Godinho, Dead Combo, The Legendary Tigerman, Sitiados, Cais Sodré Funk Connection, lançou em 2020 o álbum “CABRITA”. A obra, considerada o 6º melhor álbum de 2020 pelos leitores da Blitz, conta com uma série de convidados ilustres, como Tó Trips (Dead Combo), Sam the Kid, Gui (Xutos & Pontapés) e Selma Uamusse, entre outros.

A instalação “Multicanalcaveira / Máquina de Som será levada a cabo pela Associação Recreativa e Cultural de Músicos – ARCM, tendo inauguração prevista para 16 de Outubro, às 19:00. A exposição estará patente diariamente, entre 17 e 21 de outubro, das 19:00 às 21:00 (Sob reserva prévia  tel. 967 243 372).

A instalação “Multicanalcaveira/Máquina de Som” é um projeto de criação para uma experiência sensorial onde a audição é o sentido primordial, sendo os restantes – visão, paladar, tato, olfato – atenuados. Na “máquina de som” são reproduzidos sons que vão do som imersivo, à cacofonia de um carrossel de feira psicadélico. Estes são criados e trabalhados antecipadamente por sound designers convidados. Sem restrições, todo o som é válido: da música ao ruído, do discurso ao silêncio, ou até ambientes (naturais ou não) imersivos, mas sempre no escuro – de olhos fechados.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste