OPINIÃO

Crónica de Faro: As salinas, as ETAR e as Ilhas

Faro
OPINIÃO | JOÃO LEAL

É um projecto que nos merece todo o apoio e a mais entusiástica aprovação. Trata-se do «Bio/Ilhas», o qual visa a instalação nas salinas, algumas das quais abandonadas e nas lagoas das etar,s (estações de tratamento de esgotos e águas pluviais) dos concelhos de Faro e de Olhão de espaços com condições para que as aves existentes na Ria Formosa as emigrantes, que aqui se acolhem nas suas longas e aprazadas caminhadas, encontrem o meio propício à nidificação.


Em simultâneo desenvolver-se-á uma requalificação natural das referidas salinas e dos sapais desta nem sempre, pelos erros do homem, formosa, não obstante as suas múltiplas apetências.

É uma valiosa e oportuna iniciativa da Associação VITA NATIVA/Conservação do Ambiente, em parceria com outra válida instituição, a VIRÍDIA, as quais se propõem realizar algo que é benéfica para a Natureza e implicitamente para todos nós.

Sapais e salinas, em estado degradado, que os há infelizmente em número não desejável, assim como as áreas lagunares das etar,s de Olhão/Poente e de Faro/Olhão vão ser dotadas com estas «BIO/ILHAS» a fim de acolherem as aves (chilretas, perdiz-do-mar, alfaiates e outras espécies) em tempo de nidificação. Um projecto que está em curso, já que se iniciou em Junho último e se concretizará até Fevereiro de 2023.

Ainda no que toca às ilhas – barreiras no concelho de Faro queremos destacar e saudar a iniciativa do que constituiu a digressão inédita do grupo «Capitão Fausto», o conhecido elenco lisboeta de música indie pop e indie rock às mesmas. Após o êxito registado com o concerto ao ar livre na rampa do Teatro das Figuras, na capital sulina, seguiu-se ao fim da tarde de 5 dias consecutivos, em 5 locais das «ilhas» – Culatra, Hangares, Farol, Deserta e Parque de Campismo da Praia de Faro, com este mítico elenco. Uma acção a pedir «bis» com outros conjuntos e artistas.

João Leal

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste