OPINIÃO

Crónica de Faro: Uma farense “Imperatriz” no Egipto

Faro
OPINIÃO | JOÃO LEAL

É um dos nomes sonantes da música portuguesa e sul – americana contemporâneas. Licenciada em Psicologia, que exerce, tal realça o nível intelectual desta farense. Porque é verdade é que a Dra. Susana Travassos ou a cantora Susana Travassos nasceu na capital sulina. Isto não nega, no mínimo, a sua íntima e visceral ligação a Vila Real de Santo António, de que continua a ser uma positiva referência. Mas Faro também se orgulha e muito desta doutora – artista com tantos e tantos milhares de fãs, com um destaque próprio e referenciável na América Latina (Brasil e Argentina).

Está profundamente enraizada no «Times», como o sempre saudoso fundador, jornalista José Barão gostava de tratar o «Jornal do Algarve», de que seus pais, o Dr. Fernando Reis e D. Luísa Travassos, são traves mestras!


Ora esta farense logrou alcançar assinalado êxito no milenário Egipto, histórico país onde outro algarvio e vilarrealense, o técnico de futebol Manuel José é uma referência plena.


Esta presença de Susana Travassos na capital faraónica reveste-se ainda de um significado próprio, não apenas pelo êxito actuativo alcançado, como por ele ter por acto principal o «She Arts Festival». Isto num país marcadamente islâmico, o que representa (um Festival exclusivamente para intérpretes femininas) um «tempo novo» nos direitos cívicos das mulheres árabes.


Por esta «lança metida em África» as mais efusivas felicitações à artista – psicóloga «nossa conterrânea», a quem desejamos a total continuidade dos êxitos alcançados na Europa, América e África!

João Leal

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste