POLÍTICA

Em Faro, Rangel diz que voto no PS é “inútil” e acredita na vitória do PSD

Em Faro, Rangel diz que voto no PS é "inútil" e acredita na vitória do PSD
O candidato à liderança do PSD, Paulo Rangel, afirmou este domingo, em Faro, que o voto no PS é um “voto inútil”, acreditando que o PSD pode “causar uma grande surpresa” e vencer as próximas eleições legislativas.

“O voto no PS é um voto inútil, António Costa andou a vender-nos a gerigonça e o voto à esquerda no PS com a extrema esquerda, durante seis anos, a dizer que era o voto que iria finalmente modernizar Portugal”, declarou.

Numa sessão com militantes em Faro, que durou cerca de duas horas, o discurso de Paulo Rangel esteve mais apontado ao primeiro-ministro do que ao seu opositor na corrida à liderança do PSD, o atual presidente do partido, Rui Rio, sempre com a ideia de que o PSD tem de ser a “verdadeira alternativa” a António Costa.

“Se nós formos capazes de passar esta mensagem, eu tenho a certeza que com o descontentamento, com o desalento, com a desconfiança que o governo socialista de António Costa significaram nestes seis anos, nós poderemos causar uma grande surpresa e não apenas vencer as eleições de 30 de janeiro de 2022, mas vencê-las com uma maioria que nos dê um governo para quatro anos”, sublinhou.

Para o eurodeputado, os seis anos de governo socialista sob a liderança de António Costa “foram seis anos perdidos” e quando o PSD esteve no governo “foi para endireitar contas que os socialistas desbarataram, fosse em 2002, fosse em 2011”.

Para o candidato à liderança do PSD, em 2015, depois “das contas em ordem”, o PS “teve nas mãos a oportunidade de finalmente pôr o país a crescer, reduzir a dívida, dar um salto” na economia, melhorando a vida dos portugueses, no entanto, tal não aconteceu, o que levou a que o país ficasse “paralisado”.

As eleições internas para a liderança do PSD estão marcadas para 27 de novembro.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste