Espetáculos inovadores atraem público ao interior

Os eventos do programa registaram “um aumento de 35% em termos de público” em relação à primeira edição

Doze inovadores espetáculos culturais – do novo circo ao teatro culinário, passando pela dança e pela música – atraíram cerca de nove mil pessoas aos concelhos de Aljezur e Monchique, na última época baixa. Este número representa um aumento de 35% em relação à primeira edição do ‘Lavrar o Mar’. A organização destaca a presença de todo o tipo de pessoas nestes espetáculos, desde habitantes a estrangeiros residentes, população de todo o Algarve, assim como da área de Lisboa e, ainda, muitos turistas

 

Os concelhos de Aljezur e Monchique foram palco, nos últimos oito meses da época baixa, de vários espetáculos culturais que encheram pavilhões e outros espaços, sempre em locais não convencionais. Tratou-se do segundo ciclo do projeto ‘Lavrar o Mar’, que foi criado para fazer chegar múltiplas formas teatrais ao alto da serra e à costa vicentina “em movimento contrário à sazonalidade”.

Em jeito de balanço, os diretores artísticos do projeto, Madalena Victorino e Giacomo Scalisi, falam já de “uma relação criativa com este território algarvio”.

Desde novembro passado até ao início deste mês de junho, em vários locais dos concelhos de Aljezur e Monchique (Rogil, Marmelete, Monte Clérigo e Odeceixe) foram apresentados 12 espetáculos, num total de 64 apresentações (42 das quais esgotadas), que tomaram de “assalto” vilas, falésias, restaurantes, mercados, destilarias e piscinas municipais, entre outros locais.

Ao todo, a organização adianta que o segundo ciclo do ‘Lavrar o Mar’ contou com cerca de nove mil participantes e uma taxa geral de ocupação de 96%…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 21 DE JUNHO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste