REPORTAGEM ÚLTIMAS

Habitação social: Inquilinos indignados com “aumentos brutais” das rendas

Bairro da Caixa, Vila Real de Santo António
Bairro da Caixa, Vila Real de Santo António

A situação está a afetar mais de duas centenas e meia de residentes em bairros sociais pertencentes ao IHRU que, na região algarvia, tem fogos arrendados em Vila Real de Santo António, Loulé, Lagoa, Portimão e Lagos. Na cidade pombalina há aumentos aplicados a famílias carenciadas que ultrapassam os 1.000 por cento

Domingos Viegas

Centenas de moradores de bairros sociais pertencentes ao Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) estão indignados com o que consideram “aumentos brutais” das rendas, no âmbito da atualização levada a cabo desde o final de 2013 e cujo processo se prolongará até meados deste ano.

No Algarve há mais de duas centenas e meia de inquilinos do IHRU nos oito bairros sociais que o Estado possui nos concelhos de Vila Real de Santo António, Loulé, Lagoa, Portimão e Lagos. A estes juntam-se mais de meia centena de fogos que são propriedade do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social (IGFSS), localizados nos municípios de Olhão e Vila Real de Santo António. No total, o IHRU tem mais de 11 mil fogos de habitação social arrendados em todo o país, a sua maioria nas regiões Norte e de Lisboa e Vale do Tejo.

Em Vila Real de Santo António, os moradores dos fogos do IHRU, localizados no denominado Bairro da Caixa, começaram a receber as notificações no início deste mês e já elaboraram um abaixo-assinado para pedir ajuda à câmara municipal.

Pretendem que a autarquia interceda junto daquele instituto de forma a suspender a aplicação da atualização das rendas. Também já colocaram a hipótese de avançar com uma providência cautelar para impedir a aplicação dos aumentos até que a atual lei seja revista…

…(reportagem completa na edição impressa do Jorna do Algarve, que está nas bancas desde esta quinta-feira)

PUB
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste