ALGARVE

Jovens imigrantes de Marrocos já deixaram o Algarve

Jovens marroquinos durante a viagem (foto cedida por um deles)
[mobileonly] [/mobileonly]

Os oito jovens marroquinos que se encontravam à guarda do SEF em Vila Real de Santo António saíram da cidade cerca das 17:00, rumo a Lisboa, onde já deverão ser acolhidos e pernoitar no Centro de Acolhimento para Refugiados, a cargo do Conselho Português para os Refugiados, disse ao JORNAL DO ALGARVE fonte local.

Os jovens, com idades entre os 16 e os 21 anos, continuaram a ser ouvidos esta manhã pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), após o que regressaram à residencial Alojamento Coração da Cidade, para almoçar.

Antes de saírem para a capital portuguesa, os norte-africanos deram uma entrevista exclusiva ao JORNAL DO ALGARVE, em que pela primeira vez fizeram revelações sobre os motivos da viagem e as condições da deslocação, que começou domingo e culminou, quarta-feira, com o desembarque na zona poente da praia de Monte Gordo.

Durante aquela entrevista, os jovens agradeceram a Portugal a hospitalidade de que dá mostras e entregaram uma foto “de família” tirada a bordo da embarcação em madeira de sete metros e um vídeo feito ainda com costa marroquina à vista, em que fazem uma “corrida” com outro pequeno barco, aparentemente de pescadores (ver foto e vídeo nesta notícia).

Expressando-se em árabe – com recurso a um aplicativo de tradução em telemóvel -, os oito jovens marroquinos revelaram que se alimentaram de amêijoas cruas, fruta e água durante as 55 horas que durou a travessia.

Os imigrantes, que aparentam estar de boa saúde, precisaram que, como alimentos para a viagem, trouxeram cinco quilos de amêijoas, 10 quilos de frutas e 10 litros de água, alimentos com que contaram desde que saíram de El Jadida.

Os jovens confessaram que tinham muita fome e frio quando chegaram à zona de rebentação da praia dos Pescadores de Monte Gordo. “Para ser sincero, vimos a morte de frente, porque temos 5 dias , 55 horas de travessia”, disse ao JA um deles, Amin Sehaba, 21 anos.

Entretanto, as autoridades portuguesas decidiram que o País vai acolher o grupo de jovens, ao abrigo do quadro de proteção internacional aplicado em outros casos de estrangeiros resgatados no Mediterrâneo, anunciou na manhã desta quinta-feira o SEF.
“Ao abrigo do quadro de proteção internacional aplicado noutros casos de estrangeiros resgatados no Mediterrâneo, Portugal vai acolher os oito jovens que, esta quarta-feira, desembarcaram numa praia do Algarve, depois de estes terem requerido esta madrugada esse estatuto de proteção”, refere um comunicado do SEF.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: