Lagos: Primeiro ano do cemitério para animais com ocupação a 25%

O espaço está preparado para receber cães e gatos, mas também aves, peixes e tartarugas, entre outros animais domésticos

Um ano depois da inauguração, o primeiro cemitério para animais do Algarve apresenta uma taxa de ocupação de 25%. Este equipamento pioneiro, localizado na cidade de Lagos, tem capacidade para 39 animais de estimação, tendo já sido sepultados dez animais. Os donos pagam apenas uma taxa que varia entre 67 e 84 euros por um período inicial de três anos

 

O novo cemitério para animais inaugurado na cidade de Lagos, em setembro de 2017, não ultrapassou os 50 mil euros de investimento. “Esta é uma obra com um custo mínimo, mas com um impacto social grande”, destacaram na altura os mentores do projeto, que foi um dos mais votados pela população no primeiro orçamento participativo de Lagos.

Esta ideia “com muitos anos” e que se concretizou na realidade foi apresentada por Cecília Carmo, presidente da associação de defesa dos animais Cadela Carlota, que conseguiu convencer quase uma centena de munícipes a votarem neste projeto no orçamento participativo de 2016.

“Este foi o primeiro equipamento deste âmbito a ser criado no Algarve e o terceiro a nível nacional”, destaca a autarquia de Lagos, que faz um balanço positivo deste primeiro ano de funcionamento do cemitério para animais, que está localizado num recanto do cemitério municipal.

Atualmente, já estão sepultados neste equipamento uma dezena de animais, nomeadamente oito cães e dois gatos, de vários portes, “traduzindo-se numa ocupação de 25% das unidades de inumação existentes”. Mas, nos próximos anos, com o espalhar da notícia, os responsáveis esperam um crescente aumento da procura…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 4 DE OUTUBRO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste