ALGARVE

Município de Faro alarga medicamentos sem custos a 400 pessoas

A Câmara de Faro aprovou o alargamento de um protocolo com uma associação social para permitir o acesso de famílias carenciadas a medicamentos sem custos, aumentando o número de beneficiários de 280 para 400, anunciou hoje a autarquia.

O município algarvio fez um balanço do protocolo assinado em 2019 com a Associação Dignitude, uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que visa a melhoria da qualidade de vida e bem-estar dos portugueses, e destacou o alcance que o projeto já teve, ao “beneficiar 280 munícipes com o acesso gratuito a medicamentos, que pouparam, desta forma, mais de 40 mil euros”.

“A Câmara Municipal de Faro aprovou na segunda-feira o alargamento do ‘Programa Abem – Rede Solidária do Medicamento’ de 250 para 400 beneficiários. Esta iniciativa, desenvolvida em parceria com a Associação Dignitude desde 2019, vai permitir assim que mais munícipes em situação de carência económica possam ter acesso gratuito a medicamentos”, justificou o município num comunicado.

Fonte da autarquia esclareceu à agência Lusa que o “protocolo previa em 2020 chegar a 250” beneficiários, mas o número de candidaturas “foi superado e acabou por abranger 280”.

Esta é a terceira vez que a Câmara de Faro chega a acordo com a Associação Dignitude para aumentar o número de beneficiários do programa, que permitiu beneficiar 100 munícipes em 2019, 280 em 2020 e vê agora alargada a abrangência para 400 em 2021.

Os beneficiários do programa conseguem desta forma ter acesso, “de forma 100% gratuita, em farmácias aderentes, a medicamentos sujeitos a receita médica e comparticipados pelo Serviço Nacional de Saúde”, referiu a autarquia da capital do distrito de Faro.

Este apoio dá reposta a uma necessidade “premente” devido ao impacto que a pandemia de covid-19 está a ter na economia e na quebra de rendimentos dos munícipes e permite “garantir o apoio” e a “inclusão social de indivíduos e famílias carenciadas”, considerou o município.

“Nesse sentido, a autarquia entendeu ‘alargar’ o protocolo celebrado com a Associação Dignitude, devendo os atendimentos sociais continuar, nos próximos meses, a referenciar candidatos a beneficiários do ‘programa Abem’”, estimou a mesma fonte.

Os agregados familiares selecionados para acederem a esta medida de “combate às desigualdades” são depois encaminhados para a Associação Dignitude, que procede à emissão dos cartões de beneficiários que permitem o acesso da “população mais carenciada e vulnerável” aos medicamentos gratuitos, acrescentou.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste