Nova ETAR Faro/Olhão vai servir 115 mil pessoas de três concelhos

 

 

A infraestrutura, com tecnologia de ponta e inaugurada pelo ministro do Ambiente, permite desativar duas ETAR que estavam subdimensionadas e, ao mesmo tempo, melhorar a qualidade da água da Ria Formosa

DOMINGOS VIEGAS

A nova estação de tratamento de águas residuais (ETAR) Faro/Olhão, inaugurada esta quarta-feira pelo ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, vai servir os concelhos de Faro, de Olhão e de São Brás de Alportel, ou seja, cerca de 115 mil pessoas, permitindo ainda desativar os sistemas de lagunagem das ETAR Faro Nascente e Olhão Poente que se encontravam subdimensionadas.

Esta nova infraestrutura destaca-se pela utilização do sistema Nereda, uma tecnologia inovadora assente num tratamento biológico que, além de permitir reduzir a área de implantação da ETAR e as emissões de carbono, permite uma poupança de até 40% da energia consumida em relação aos processos convencionais.

O ministro do Ambiente garantiu que, com esta obra, a qualidade da água da Ria Formosa “vai, muito depressa, sentir uma grande melhoria e todos estes ecossistemas lagunares vão melhorar bastante”. O Governante frisou ainda que o investimento “de 44 milhões de euros” efetuado na região, referentes à ETAR Faro/Olhão e à da Companheira (Portimão), permite que “os esgotos de uma parcela muito significativa da população da região fiquem definitivamente tratados”.

A nova ETAR Faro/Olhão, uma obra da Águas do Algarve, custou mais de 21 milhões de euros e incluiu a reabilitação de sete estações elevatórias de águas residuais.

“Terminou o ciclo da construção das grandes infraestruturas. Agora começa o desafio de manutenção dessas infraestruturas, mas também de investigação e de desenvolvimento. É isto que tem de ser o futuro”, referiu o presidente da Águas do Algarve, Joaquim Peres.

Por seu turno, o presidenta Câmara de Olhão, António Miguel Pina, considerou que esta ETAR “deveria ter sido uma das primeiras a ser construída no Algarve, devido ao espaço ambiental onde se encontra”, ou seja, em plena Ria Formosa, mas frisou que esta quarta-feira é “um dia muito feliz para Olhão e para o Algarve”.

O autarca referiu, ainda, que, com esta inauguração, fecha-se um ciclo de mais de 20 anos e recordou que “a desclassificação dos viveiros da Ria Formosa foi decisiva para que se avançasse, de forma definitiva, para a construção desta ETAR”.

O presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, destacou que se trata de “um equipamento muito importante para os três municípios” e com o qual “sonhámos na última década”. O autarca destacou a tecnologia da ETAR, a defesa do ambiente e frisou que o investimento efetuado na construção “tem um retorno imediato para a população”.

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

Comentar

>
Tamanho da Fonte
Contraste