ALGARVE DESPORTO FUTEBOL Primeira

Portimonense perde na Vila das Aves e Folha demite-se

O lanterna-vermelha Desportivo das Aves encerrou hoje a primeira volta com um triunfo sobre o penúltimo Portimonense, por 3-0, em jogo da 17.ª jornada da I Liga de futebol, que premiou a superioridade anfitriã.
Na Vila das Aves, Welinton Júnior (54 minutos), Zidane Banjaqui (74) e Mehrdad Mohammadi (79) selaram a terceira vitória dos nortenhos, que só tinham batido o Marítimo (3-1, na segunda ronda) e o Sporting de Braga (1-0, na 13.ª).
O Desportivo das Aves interrompeu um ciclo de três derrotas consecutivas, passou a somar nove pontos e aproximou-se do Portimonense, que se mantém na 17.ª e penúltima posição, com 14, a um de Paços de Ferreira e Belenenses SAD.
Sufocados pela urgência de triunfos, os nortenhos entraram com vontade de relançar as contas da permanência e declararam as suas intenções logo aos 30 segundos, num remate de Reko Silva travado por Ricardo Ferreira, sete minutos antes de Kevin Yamga desperdiçar em plena área, após livre de Zidane Banjaqui.
Apesar da parca criatividade, o ritmo frenético colocado pelo Aves animou a meia hora inicial, período em que o regressado Welinton Júnior desenhou dois ‘mísseis’ em arco pela esquerda, errando o alvo aos 17 minutos e estremecendo a trave algarvia aos 25.
Sem o golo que desse alguma estabilidade emocional, os anfitriões diminuíram a pressão e objetividade até ao intervalo, permitindo uma resposta tímida dos ‘alvinegros’ através de livres finalizados por Pedro Sá, aos 30, e Bruno Costa, aos 42.
No reatamento, os avenses recuperaram o ascendente e trouxeram maior eficácia, manifestada pelo avançado brasileiro Welinton Júnior aos 54 minutos, quando dominou de calcanhar a solicitação de Zidane Banjaqui, resistiu ao duelo com o compatriota Jadson e atirou cruzado para o quinto golo no campeonato.
O lance entusiasmou a formação de Nuno Manta Santos, que esteve perto de duplicar a vantagem nos instantes seguintes, num remate de Zidane Banjaqui a rasar a barra, aos 56, e numa investida de Welinton Júnior, aos 60, à qual se opôs Ricardo Ferreira.
Os pupilos de António Folha procuraram resgatar alguma inspiração atacante com a junção de Beto e Marlos Moreno ao estreante Takuma Nishimura, tendo o cruzamento em forma de remate do colombiano quase enganado Beunardeau aos 72.
Balanceado para o último terço, o Portimonense denotou falhas defensivas em transição que se revelaram letais: à entrada para o quarto de hora final, o médio luso-guineense Zidane Banjaqui concluiu um contra-ataque perfeito e festejou o primeiro tento na I Liga.
Do mesmo modo, o avançado iraniano Mehrdad Mohammadi aproveitou o cruzamento de Welinton Júnior, aos 79 minutos, anotando o sétimo golo na prova e oferecendo ao Aves o mote para acreditar numa segunda volta inteiramente diferente da primeira.

António Folha demitiu-se

O treinador António Folha demitiu-se hoje o comando do Portimonense e passou a ser o décimo primeiro técnico a abandonar uma equipa na edição 2019/2020 da I Liga portuguesa de futebol.

O antigo treinador da equipa B do FC Porto cumpria a segunda época no leme dos algarvios, contudo não resistiu à derrota de hoje, no reduto do lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0, num jogo da 17.ª jornada do campeonato.

Folha, de 48 anos, que na temporada passada levou o Portimonense a terminar no 12.º da I Liga, apenas alcançou quatro vitórias em 22 encontros para todas as competições esta época.

O último triunfo (2-1) do Portimonense aconteceu em 30 de novembro, na receção ao Famalicão, com a equipa algarvia a somar apenas 14 pontos, estando no 17.º lugar do campeonato.

Edição Semanal

Publireportagem

PORTIMONENSE E-SPORTS APRESENTA EQUIPA DE F1 (VIDEO) E PROJETA NOVAS PLATAFORMAS NO CLUBE




Tamanho da Fonte
Contraste