REPORTAGEM

Preço da alfarroba quase triplicou desde 2017

Alfarroba int

O valor médio da alfarroba quase triplicou desde 2017 até hoje, de acordo com dados recolhidos esta semana pelo JA, que faz uma viagem ao mundo da alfarroba, trazida pelos árabes para a Península ainda antes do nascimento da nacionalidade. A procura de polpa para farinhas está em ascensão, mas é a semente – usada sobretudo em químicos – que promove o produto e forma o seu preço final

Com valores que se foram mantendo estáveis nos 4 a 5,50 euros por cada arroba (15 quilos) desde o final da primeira década do século até 2017, o valor médio de pagamento da alfarroba ao produtor cresceu para o dobro em 2020 (10,05 euros) e neste momento, a meio da campanha (o período que se segue à colheita, que termina em agosto), oscila entre 12,50 e 13 euros, segundo disseram ao JA fontes do setor.


“Os preços nunca tinham estado tão altos nos últimos anos. Na campanha [agosto a maio] os preços têm flutuações, normalmente são mais baixos no início da campanha, está agora a atingir valores de 12 a 13 euros”, confirmou ao JA Augusto Ramos, diretor da empresa Teófilo Fontainhas Neto, que se dedica parcialmente à transformação de alfarroba. Ressalva, contudo, que, nos anos anteriores a 2009, de cinco em cinco anos – grosso modo – havia um pico: “Recordo-me de a alfarroba estar a 3, a 6, a 10, a 13 euros e de voltar a quatro euros”.

(…)

João Prudêncio

(leia a notícia completa no Jornal do Algarve de 4 de fevereiro de 2021)

Assine o Jornal do Algarve e aceda aos conteúdos exclusivos para assinantes

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste