ECONOMIA MUNDO

Preocupações com dívida europeia penalizam abertura de bolsas dos EUA

As bolsas norte-americanas abriram a sessão de hoje em baixa, sem conseguirem aproveitar o impulso dado pela Hewlett-Packard, que apresentou hoje previsões de resultados superiores às estimativas dos analistas. Os EUA estão assim envolvidos pelo clima de desconfiança trazido pelas preocupações sobre a crise da dívida dos países periféricos europeus.

O índice S&P500 iniciou o dia a cair, com uma desvalorização de 0,23% para os 1145,08 pontos enquanto o Dow Jones começou a sessão com uma quebra de 0,20% para os 110.836,3 pontos. O índice tecnológico Nasdaq é o que apresenta uma maior desvalorização, ao depreciar 0,37% para os 2.370,67 pontos.

Os três principais índices da bolsa dos Estados Unidos estão a acompanhar o dia no vermelho que se sente pela Europa, onde a dívida dos países periféricos como Portugal e a Irlanda conduz à ideia de que esta crise se está a acentuar.

Apesar de ontem terem estado muito tempo a negociar no negativo, os EUA encerraram o dia no positivo, sendo que hoje não deram continuidade a esse comportamento.

Os EUA não conseguiram seguir os bons dados da HP que elevaram as estimativas de ganhos. A empresa sobe 0,87% para os 41,62 dólares, prevendo ganhos, excluindo custos, de 5,15 dólares por acção, que superam os 5,05 dólares por acção anteriormente estimados. Já as vendas previstas passaram de 131,5 mil milhões para 133,5 milhões de dólares. Além disso, foi hoje divulgado que a companhia planeia um retorno de capital aos accionistas através de dividendos e da recompra de acções.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste