PSD Algarve diz que baixa das portagens “é confirmação que promessa não vai ser cumprida”

David Santos, presidente do PSD Algarve

.

O PSD Algarve considera que o anúncio da disponibilidade do Governo para reduzir o valor das portagens nas ex-Scut, entre as quais a Via do Infante, apenas, para veículos pesados de mercadorias, “é a confirmação” de que a prometida redução total em 50 por cento “não vai ser cumprida”.

Os sociais democratas recordam que apenas 1 em cada 300 veículos (0,3%) que circulam na Via do Infante vai beneficiar da referida descida.

“Todos os particulares, as pequenas e médias empresas, todos os que não tenham como objeto de actividade o transporte de mercadorias por veículos pesados, ficam de fora desta proposta. É quase uma caricatura”, considera o PSD.

Neste sentido, os sociais democratas recordam “o que foi assumido pelas três forças políticas que são, ou apoiam, o Governo: PS, BE e PCP”: “O PS assumiu que se viesse a ser Governo imporia, a título imediato, uma redução de 50 por cento no preço das portagens, o BE e PCP comprometeram-se com a abolição”.

“Juntaram-se os três, negociaram três orçamentos de Estado, e o resultado foi uma redução de 15% no preço para os utentes da Via do Infante. Só 0,3 por cento terá um desconto maior”, lamentam.

O PSD Algarve entende que “as condições do país, hoje, são melhores do que as de 2009 quando as portagens foram decididas e 2011 quando foram executadas”, Assim, defendem que “é imperioso tomar medidas para desagravar esta elevadíssima fatura que os algarvios pagam e que não tem explicação económica, social, de sinistralidade, entre outras”.

“As promessas vão caindo por terra. Num tempo que se diz novo, não há uma para o Algarve que tenha visto a luz do dia. É um padrão: na saúde, na ferrovia, na EN 125, na A22”, conclui o PSD.

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste