PS/Olhão: Esmeralda Ramires nega acusações

.
.

A líder do PS/Olhão, Esmeralda Ramires, considerou que as declarações de Luciano de Jesus, em resposta ao pedido de demissão do cargo de presidente da Junta de Freguesia de Olhão, são “falsas” e lamentou que o autarca tivesse respondido com “ataques pessoas”.

Refira-se que o PS/Olhão solicitou no final da última semana a demissão de Luciano de Jesus do cargo de presidente daquela Junta, para o qual tinha sido eleito pelo PS, depois de ter sido anunciado como candidato independente à presidência da Câmara pela coligação “Sim, Juntos por Olhão”, que reúne PSD, CDS, MPT e PPM.

A líder do PS Olhão explicou que o comunicado enviado à comunicação social foi uma decisão do secretariado da comissão política, e não uma decisão pessoal. Esmeralda Ramires garantiu que é falso que tenha estado sempre contra todo o processo de escolha dos candidatos e assegurou: “Nunca pautei a minha participação na política por cargos, nem para mim nem para outros, mas sim, pela defesa da minha cidade, do meu concelho e das suas populações”, garantiu.

E também negou que “ande atrás de qualquer coisa”, explicando que afirmou na comissão política que não aceitaria qualquer cargo: “Bem sei que, sem perspetiva de compensação, esta atitude é incompreensível para muitos, em especial para os que vêm no exercício de tais funções um caminho de ascensão, nem que para tal posterguem os seus ideais em troca de cargos”.

Esmeralda Ramires nega ainda que tenha tentado omitir da comunicação social que o anterior secretariado se demitiu em bloco: “Convidei-os a refletir e a dizer se queriam integrar o novo secretariado e o resultado foi de que o secretariado atual, em oito elementos, mantém quatro e integra quatro novos”.

E também negou que a comissão política esteja destroçada e dividida. “Tem um secretariado coeso, reforçou o seu apoio a António Miguel Pina enquanto seu candidato à Câmara Municipal, retomou o diálogo com o mesmo sobre o processo autárquico em curso e reativou a articulação com as estruturas regionais do partido”, assegurou.

“Em política não vale tudo. Caluniar os ex-camaradas e denegrir o partido que abandonou só contribui para fortalecer o Partido Socialista. Não renunciar ao cargo quando já não pertence ao partido que o incluiu nas listas só descredibiliza e enfraquece o candidato da direita Luciano de Jesus”, considera a líder do PS/Olhão.

pub

 

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste