Qual seria o impacto de um derrame de petróleo no Algarve?

Um dos maiores acidentes de sempre aconteceu no Golfo do México, em 2010, na fase de perfuração
Um dos maiores acidentes de sempre aconteceu no Golfo do México, em 2010, na fase de perfuração

A realização do primeiro furo de prospeção ao largo de Aljezur, nos próximos meses, pode ser uma receita para o desastre. Esta é a opinião de autarcas, associações empresariais e ambientalistas, lembrando que “um cenário extremo não pode ser descartado” nestes casos. Embora ainda seja cedo para calcular o impacto de um eventual acidente, muitos acreditam que poderia ser um dos piores desastres ecológicos e económicos na história da região. E tudo em troca de receitas “insignificantes” para Portugal, que tem lucrado – e muito – com o turismo algarvio

 

Um derrame de petróleo é considerado um dos mais graves e problemáticos acidentes ambientais. Se acontecesse ao largo da costa algarvia, podia deixar as praias negras e contaminar extensas faixas de areia, deixando-as impróprias para banhistas durante muitos anos, além de provocar a morte de aves e peixes, afetando gravemente a atividade piscatória. Neste caso, todo o setor turístico da região podia ser afetado e a região sofreria enormes prejuízos económicos.

Este é “um cenário extremo que não pode ser descartado”, alertam os autarcas do Algarve e do Alentejo, as associações empresariais do Algarve, a Região de Turismo do Algarve, em conjunto com associações e movimentos que sempre se manifestaram contra a prospeção de petróleo na região…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 1 DE MARÇO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

Comentar

>
Tamanho da Fonte
Contraste