ALGARVE ÚLTIMAS

Residentes de Vale do Lobo já têm bicicletas elétricas para partilhar

.

As primeiras bicicletas elétricas do sistema de uso partilhado já estão operacionais e disponíveis para os residentes de Vale do Lobo que pretendam utilizar esta solução amiga do ambiente.

O evento de lançamento, que ocorreu esta semana, na sede da empresa municipal Infralobo, foi uma das iniciativas integradas na programação da Semana do Município de Loulé. Na ocasião estiveram presentes altos responsáveis das principais entidades do concelho de Loulé, que foram unânimes em aplaudir o projeto que alia a tecnologia à mobilidade sustentável.

O presidente da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo, considera que a implementação deste sistema de bicicletas de última geração na área geográfica abrangida pela Infralobo é “mais um degrau na excelência da gestão” daquela área territorial.

.

“É muito interessante sob o ponto de vista do sinal que dá relativamente às novas formas de mobilidade que têm de ser amigas do ambiente, com zero emissões se possível, como é o caso destas bicicletas de uso partilhado. Este projeto transmite uma imagem de modernidade e de alinhamento com as grandes preocupações que hoje percorrem o mundo todo e prova que há muitas coisas que vão ter de mudar no dia-a-dia na nossa vida. Vale do Lobo é um exemplo disso com este projeto interessantíssimo”, referiu o autarca.

O administrador executivo de Vale do Lobo, Pedro Reimão, assinalou a importância do projeto na melhoria das condições de deslocação dos proprietários, hóspedes e visitantes desse resort.

“É um projeto fantástico porque resolve vários dos problemas que aqui temos de uma forma notável. Em primeiro lugar a questão da mobilidade das pessoas, um problema grande porque, felizmente, há grandes distâncias a percorrer e, para além da distância, há ainda a questão do declive”, explicou.

Aquele responsável considerou, ainda, que se trata de uma “solução sustentável”, não só “no sentido de evitar a proliferação dos automóveis e o impacto ambiental decorrente, mas também “porque evita a circunstância normal de se criarem novos espaços de estacionamento”.

Pedro Reimão acredita que esta é apenas “uma fase inicial” de um projeto que vai ser ampliado no futuro, mostrando-se confiante que o número de bicicletas disponíveis venha a aumentar.

.

A opinião é partilhada por Fátima Catarina, presidente do Conselho de Administração (CA) da Infralobo, que acredita que para o ano haverá “mais bicicletas, dependendo do sucesso desta primeira fase”. Fátima Catarina aproveitou para sublinhar que o projeto Smart Bikes by Infralobo se enquadra na Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas que o município de Loulé tem vindo a desenvolver no seu território.

Daniel Ferreira, representante da Bewegen, empresa canadiana que forneceu o sistema de ‘smart bikes’ para a Infralobo, observou também que este é apenas “o início de um projeto maior que está planeado pela Infralobo no sentido de dotar esta zona não só para servir os residentes, como também poder expandir territorialmente o numero de postos e de bicicletas por toda a área geográfica abrangida”.

O fundador e diretor geral da We Go Share, subsidiária da Bewegen para a manutenção dos sistemas de bikesharing na europa integrou o grupo que pedalou desde a sede da Infralobo até à Praça de Vale do Lobo e diz ter visto “muitos sorrisos” durante o passeio inaugural.

“Fiz parte do passeio mas vim na retaguarda como carro vassoura, praticamente fiz o passeio quase todo sozinho, e a avaliar pela quantidade de sorrisos que vi quando cheguei acredito que os participantes tenham tido um bom momento”, resumiu.

Refira-se que a empresa responsável por toda a tecnologia associada às bicicletas foi a Bike Emotion, uma empresa portuguesa.

O diretor geral da Infralobo, Carlos Manso, classificou como “muito gratificante” assistir ao lançamento de um projeto em que foram investidas “muitas horas de trabalho, muita dedicação e muito suor”, de toda a equipa envolvida no projeto.

“Sentimos que a nossa pequena pegada ecológica já foi dada. O grande passo foi dado pelo presidente do município, Dr. Vítor Aleixo, foi ele que nos incentivou a avançar com este projeto, que nos colocou este bichinho e consideramos que à nossa escala local estamos a ter a nossa influência e retorno ao nível global”, referiu.

Carlos Manso acrescentou já ter havido abordagens por parte de outras entidades no sentido de expandir a utilização de bicicletas para outras zonas do concelho. “Em conjunto, poderemos influenciar a dinâmica da mobilidade e o uso da bicicleta no concelho de Loulé”, concluiu.

No final das intervenções, os participantes foram convidados a visitar a sala de operações da Infralobo, que, tal como descreveu Fátima Catarina, é “uma smart room com especificidades únicas oriundas das mais recentes tecnologias existentes no mercado”.

O lançamento do sistema de bicicletas de última geração na área de intervenção da Infralobo é o mais recente projeto desta empresa municipal, incluído na estratégia de sustentabilidade ambiental impulsionada pela Câmara Municipal de Loulé. O conceito de smart resort foi iniciado em março de 2017, com o lançamento da plataforma Infralobo Smart Management.

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: