POLÍTICA

Rosa Nunes tenta tirar liderança do município ao PSD em Castro Marim

Rosa Nunes ps castro marim

A engenheira civil Rosa Nunes é a candidata do PS à presidência da Câmara de Castro Marim e procura ‘destronar’ um dos decanos dos autarcas portugueses, o social-democrata Francisco Amaral, que concorre ao terceiro e último mandato no município.

Rosa Nunes, de 55 anos, iniciou a sua carreira profissional como técnica da autarquia de Castro Marim, onde trabalhou e foi vereadora da oposição entre 2005 e 2009.

“Estou ligada a esta grande terra, de boa gente, desde 1990. Comecei ainda jovem, solteira, a trabalhar na Câmara Municipal. Nesse tempo havia apenas um técnico, que passado um ano saiu, tendo eu ficado sozinha a trabalhar em todas as áreas relacionadas com obras particulares. Fui muito bem recebida no concelho, onde trabalhei e dei o meu melhor, razão pela qual acho que chegou a hora de retribuir, esse é o principal motivo da minha candidatura”, afirmou Rosa Nunes à agência Lusa.

A candidata do PS, que na atualidade pertence aos quadros do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), como chefe de divisão das áreas classificadas e cogestão das áreas protegida, criticou a gestão autárquica do PSD e de Francisco Amaral e prometeu adotar, caso vença as eleições, “outra forma de governar e de fazer política em Castro Marim, com liberdade de expressão e sem retaliações”.

Rosa Nunes prometeu ainda “trabalhar em prol do desenvolvimento e cuidar do concelho com dedicação, promovendo a sua história e o património cultural e natural, com um turismo sustentável e amigo do ambiente”.

A falta de tratamento e limpeza do espaço público, uma maior celeridade na resposta aos investidores ou a definição de uma política municipal de habitação social são outros dos objetivos propostos pela candidata socialista.

Rosa Nunes tem já como adversários conhecidos o atual presidente da Câmara e candidato do PSD, o médico Francisco Amaral, e a agente imobiliária Paula Sofia Santos, pela CDU.

Depois de uma maioria absoluta em 2013 e de uma vitória em 2017, mas perdendo a maioria, Francisco Amaral acusou a oposição de “bloquear” a gestão municipal e a sua lista apresentou a demissão em bloco em 2019, levando à realização de umas eleições intercalares.

Nas intercalares disputadas em junho de 2019, o PSD recuperou a maioria absoluta que perdera em 2017 e ficou com três dos cinco eleitos, contra dois do PS.

Antes de liderar o executivo municipal, Francisco Amaral presidiu à Câmara do concelho vizinho de Alcoutim entre 1993 e 2013.

As eleições autárquicas realizam-se em 26 de setembro.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste