Silves: Fábrica do Inglês proposta como monumento de interesse público

Em anúncio publicado hoje no Diário da República, a DGPC refere que vai propor à secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural a classificação da antiga fábrica de cortiça algarvia como monumento de interesse público (MIP), incluindo os jardins e o património móvel integrado, nomeadamente o do museu.

O procedimento de classificação da Fábrica do Inglês como monumento de interesse público iniciou-se há quase três anos, em abril de 2019, depois de em outubro de 2018 o incumprimento de um prazo legal ter levado à caducidade do procedimento que pretendia a classificação do imóvel como MIP.

No documento do procedimento de classificação, que estará em consulta pública durante 30 dias úteis, são enumerados elementos que justificam a classificação da antiga Fábrica de Cortiça da Avern, Son & Barris, construída em 1893-94 e que se manteve em funcionamento até 1991.

No documento pode ler-se que o edificado se destaca pela particular estrutura arquitetónica industrial, “pouco comum, num Portugal de banalidades […] existindo plantas do conjunto fabril de 1893, 1921 e 1962, bem como uma importante documentação depositada no Arquivo Distrital de Faro.”

O conjunto fabril foi adquirido pela sociedade Fábrica do Inglês, empresa do Grupo Alicoop, no final do século XX, reabilitado e transformado num complexo de animação turística, com espaços de restauração e de espetáculos, os quais ficaram ao abandono depois da falência do grupo proprietário em 2010.

A Câmara Municipal de Silves requereu a classificação do imóvel, que viria a ser classificado como monumento de interesse municipal (MIM) em outubro de 2010.

- Publicidade -

A 30 de maio de 2014, o espólio do museu e o edifício foram a leilão público, no qual a Câmara de Silves participou, sem ter conseguido a aquisição do espólio, que acabou por ser adquirido pelo Grupo Nogueira por 36 mil euros.

Os edifícios desativados da Fábrica do Inglês foram adquiridos pela Caixa Geral de Depósitos por 2,2 milhões de euros.

Os elementos relevantes do processo podem ser consultados nas páginas eletrónicas da Direção-Geral do Património Cultural, Direção Regional de Cultura do Algarve e da Câmara de Silves.

O processo administrativo original está também disponível para consulta, mediante marcação prévia, na Direção Regional de Cultura do Algarve, em Faro.

As observações dos interessados deverão ser apresentadas junto da Direção Regional de Cultura do Algarve, que se pronunciará num prazo de 15 dias úteis.

- Publicidade-spot_img

Deixe um comentário

+ Populares

- Publicidade -castro-marim-santos
- Publicidade-spot_img

Leia Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Tem uma Dica?

Contamos consigo para investigar e noticiar

Tamanho da Fonte
Contraste