CULTURA

Albufeira inaugura exposição com estreia de peça sonora inovadora

O Município de Albufeira inaugurou a exposição “Pelos Trilhos do Algarvensis”, de Rui Gregório, com estreia da peça sonora “Percurso 1 381Km2”, da autoria do maestro Armando Mota.

A iniciativa, que se insere no âmbito do GeoPalcos, programa de intervenção cultural no território aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira, tem por objetivo criar eventos inovadores nos referidos concelhos, marcando o cruzamento de várias disciplinas artísticas, mas também a comunicação entre os agentes culturais, as gentes locais e a população que habitualmente visita o Algarve durante o Verão. O evento contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Loulé e dos responsáveis técnicos pelo projeto dos três municípios.

O GeoPalcos é um evento que liga a arte, a ciência e natureza com e para as pessoas, pensado a partir da colaboração e participação das populações.

Recorde-se que o programa surgiu com o objetivo de enriquecer e dinamizar o território do aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira a Geoparque Mundial da UNESCO, com base “num desafio aos artistas e cientistas para pensar o (a partir) do território como um lugar de criação, de pensamento, de inquietude e de deslumbramento”.

E foi isso precisamente o que aconteceu com estes dois artistas de Albufeira, que aceitaram o repto da organização para lançar um novo olhar a este território, neste caso a zona de Paderne e Ferreiras, que integra o aspirante Geoparque Algarvensis.

Rui Gregório, natural de Albufeira e residente em Paderne há vários anos, fez-se ao caminho e durante cerca de um ano revisitou paisagens, percorreu trilhos, onde descobriu novos lugares, fósseis que antes não passavam de pedras e que agora adquiriram um novo significado. Nas suas constantes incursões pela terra que é a sua, apurou todos os sentidos para através de um olhar atento captar a biodiversidade da paisagem e os impactos da intervenção humana sobre aquele território ao longo de milhares de anos.

O resultado é um conjunto de imagens deslumbrantes que contam a história dos vários lugares que a sua lente aprisionou para usufruto de todos os que quiserem visitar a exposição.

O artista sublinha que ao seu ritmo mergulha nos lugares em que gosta de se perder neste território, revelando que é neste processo que “começa a compreender as coisas, a existência, as memórias e vivências de um tempo perdido, especialmente neste mundo em que tudo acontece tão rápido, não basta chegar a um lugar e fotografar”.

Refira-se que este foi um projeto pensado em conjunto por dois artistas que interpretaram e se deixaram deslumbrar por um território, numa visita que se faz de fotos que ganham novas dimensões através da magia da música. Para o efeito, o maestro Armando Mota compôs a peça sonora intitulada “Percurso – 1 381Km2”.

A programação do GeoPalcos pode ser consultada no site do Geoparque em: https://www.geoparquealgarvensis.pt/ e bezarenha.pt

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste