Inferno em Monchique: 23 feridos e uma idosa em estado grave após noite de pânico

.
.

Vinte e quatro pessoas ficaram feridas durante a última noite, na sequência do incêndio que lavra na serra de Monchique desde o início da tarde de sexta-feira.

Uma das vítimas é uma idosa de 72 anos que está em estado grave e teve de ser transportada para o Hospital de São José, em Lisboa.

Na manhã desta segunda-feira, quase 72 horas depois do início do incêndio, as chamas continuam descontroladas e a progredir em duas frentes, estando a ser combatidas por mais de mil operacionais, apoiados por 300 viaturas, cinco aviões e dois helicópteros.

A noite passada foi de sobressalto na vila de Monchique, com várias localidades a terem de ser evacuadas, incluindo um hotel perto das Caldas de Monchique. O fogo cercou praticamente toda a vila, causando muita preocupação entre os moradores. Bombeiros e população não dormiram para proteger os seus bens e as próprias vidas.

O vento dificultou bastante o trabalho dos bombeiros e há relatos de várias habitações destruídas pelo fogo.

434 militares no terreno a apoiar o combate aos incêndios

Entretanto, as forças armadas mobilizaram esta manhã para Monchique seis pelotões (sendo cinco pelotões do Exército e 1 da Marinha), e dois destacamentos de engenharia do Exército com uma plataforma e dois tratores lagartas, num total de 130 militares, dos quais 111 são do Exército e 19 da Marinha, com 10 viaturas ligeiras e 18 viaturas médias. Estes militares juntam-se a outro que já tinham sido deslocados para a serra algarvia, num total de 434 militares no terreno.

Esta nova mobilização de militares para a região de Monchique surge no seguimento de um pedido da ANPC que tem como objetivo assegurar em específico ações de rescaldo pós incêndio.

 

JA

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste