Livro retrata “um notável algarvio no lado errado da história”

.
.

“Traidor ou Patriota? – José Diogo Mascarenhas Neto (Um notável algarvio no lado errado da história)” é o mais recente trabalho do escritor e investigador algarvio João Nuno Aurélio Marcos.

A apresentação vai ter lugar no próximo sábado, dia 25 de junho, às 16h00, na casa onde José Diogo Mascarenhas Neto nasceu, em 1752, a Quinta da Cruz, atual Hotel Capela das Artes, em Alcantarilha.

Nesta sua nova obra, de cariz histórico e biográfico, o investigador e autor de livros como “Os Viscondes de Lagoa” e “A caridade e as Instituições de Assistência Pública no Concelho de Lagoa”, entre outras, dá-nos a conhecer a vida e obra de um dos mais notáveis algarvios de sempre, natural de Alcantarilha.

Nascido no seio de uma destacada família algarvia, José Diogo Mascarenhas Neto formou-se em Direito, na Universidade de Coimbra, e foi magistrado em várias localidades portuguesas

No entanto, não é nesta área que José Diogo adquire o seu maior prestígio e dimensão histórica. Em 1791, foi superintendente geral das Calçadas e Estradas, tendo dirigido a construção da primeira estrada Lisboa-Porto. É, igualmente, considerado como o fundador dos correios em Portugal, tamanha a reforma que fez nesse serviço público. Foi por iniciativa sua que foram colocadas nas ruas as primeiras placas de toponímia e atribuído um número de polícia a cada casa, facilitando a distribuição postal.

Liberal, com ligações à maçonaria, sócio da Academia Real das Ciências de Lisboa e sócio correspondente da Sociedade do Museu de Paris, foi preso em 1810, sendo exilado em Inglaterra e na França, onde se manteve até 1821.

NC/JA

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste