Nelson Mandela completa 92 anos e ganha Dia da ONU

O primeiro presidente negro da África do Sul e prémio Nobel da Paz, Nelson Mandela, comemora hoje 92 anos de idade e por todo o mundo assinala-se pela primeira vez o Dia Nelson Mandela, instituído pela ONU.

O Dia Nelson Mandela, o primeiro de sempre dedicado a uma pessoa, foi instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas em novembro de 2009 pela “contribuição do ex-presidente sul-africano para a cultura, paz e liberdade”.

As comemorações começaram no sábado com a chegada de noventa e dois meninos das proximidades da aldeia de Mvezo, onde nasceu Nelson Mandela, à capital sul-africana para cantarem os parabéns ao ex-presidente sul-africano.

O ‘coro’ de aniversário a Madiba, como Mandela é carinhosamente apelidado, incluiu crianças entre os seis e os 12 anos de Mvezo e Qunu, as localidades onde viveu na infância.

O neto de Mandela, Mandla Mandela, líder do Concelho Tradicional de Mvezo, também viajou com as crianças e qualificou a experiência para os mais novos como a “oportunidade da sua vida”.

Mandla Mandela destacou que o seu avô saiu de uma comunidade muito pobre para se transformar num “estadista de nível mundial”, ultrapassando as barreiras da “pobreza e da opressão”.

“Dissemos aos meninos que o céu não tem limites e que podem seguir os passos de Madiba”, afirmou Mandla.

Mandela também recebeu uma delegação do seu partido, o Congresso Nacional Africano.

Nelson Mandela comemorará o aniversário com a família, mas na África do Sul e em outros países, centenas de milhares de pessoas participarão na campanha “Oferece 67 minutos de trabalho” voluntário, o que corresponde a cada minuto por cada ano que Mandela dedicou à luta pela liberdade e igualdade.

Na sexta feira, delegações de 192 países membros da ONU reuniram-se em Nova Iorque para prestar homenagem ao Nobel e a ministra de Relações Internacionais sul-africana, Maite Nkoana-Mashabane, sublinhou que o nome de Mandela continua a contribuir para a paz.

O secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, caracterizou Madiba como um “exemplo vivo dos principais valores da humanidade e das Nações Unidas”, recordando a sua atitude de perdoar os inimigos para fazer do Mundo um “lugar melhor”.

Mandela esteve preso durante 27 anos por causa da sua luta com a discriminação de negros na África do Sul (apartheid) e em 1994 foi eleito Presidente do país, cargo que exerceu até 1999.

JA/AL

Advertisements

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar
Tamanho da Fonte
Contraste