“Novo hospital vai ser a nossa grande luta em 2020”

A presidente da Câmara de Portimão, que foi eleita para representar os municípios algarvios no conselho consultivo do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA), promete “fazer valer os interesses regionais” e lutar pela construção de um novo hospital na região, considerando que se trata de uma “necessidade evidente” e de uma “antiga e justa aspiração”. “Independentemente dos custos, esta é uma reivindicação que o Algarve não pode – e não vai – deixar cair nunca”, garante Isilda Gomes ao JORNAL do ALGARVE

A construção de um novo hospital central no Algarve vai ser a “grande luta” dos autarcas algarvios no próximo ano. Em declarações esta semana ao JORNAL do ALGARVE, Isilda Gomes – que além de presidente da Câmara de Portimão foi agora eleita para representar os municípios algarvios no conselho consultivo do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA) – considera que se trata de uma “necessidade evidente” e de uma “antiga e justa aspiração”.

A construção de uma nova unidade hospitalar é antiga e está identificada como prioridade regional há cerca de duas décadas. Em 2002, o projeto foi apresentado com pompa e circunstância. Mais tarde, em 2006, um estudo colocou a futura unidade algarvia no segundo lugar das prioridades a nível nacional e, em 2008, o então primeiro-ministro José Sócrates até chegou a lançar a primeira pedra do hospital, no Parque das Cidades, entre Faro e Loulé. No entanto, a crise chegou e o projeto estimado em cerca de 300 milhões de euros – que deveria estar concluído em 2013 – nunca mais saiu do papel.

“Independentemente dos custos, esta é uma reivindicação que o Algarve não pode – e não vai – deixar cair nunca”, refere Isilda Gomes ao JORNAL do ALGARVE.

A autarca socialista admite que “muito dificilmente” os procedimentos para a construção do novo hospital arrancarão ainda este ano, tal como chegou a ser previsto no final de 2018, mas espera que, logo após a realização das eleições, marcadas para o próximo dia 6 de outubro, o processo volte a constar da lista de prioridades do Governo.

“O desejo de todos os autarcas e da população é que as obras comecem no mais curto espaço de tempo. Por isso, essa vai ser uma das nossas principais reivindicações no próximo ano. Vai ser a nossa grande luta em 2020”…

Leia a notícia completa na edição em papel.

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

Comentar

>
Tamanho da Fonte
Contraste