COVID-19

Só o Alentejo tem índice de transmissibilidade mais baixo que o Algarve

vacinacao_covid19

O Algarve tem um dos mais baixos índices médios de transmissibilidade (Rt)  do vírus SARS-CoV-2 do País (0,83), com todas as regiões abaixo de 1 e um indicador que está em “redução acentuada” desde 08 de abril, anunciou hoje o INSA.

Segundo o relatório semanal do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) sobre a evolução da curva epidémica da covid-19, entre 08 de abril e 02 de maio, observou-se uma redução acentuada do Rt, que passou de 1,06 para os atuais 0,92, o que indica uma “tendência decrescente da incidência do SARS-CoV-2”.

No relatório anterior, divulgado a 30 de abril, todas as regiões já apresentavam um Rt – que estima o número de casos secundários de covid-19 resultantes de uma pessoa infetada – inferior a 1, com exceção da Madeira que estava nos 1,04.

Os dados por regiões hoje divulgados referem que a Madeira apresenta agora um Rt de 0,97, seguindo-se o Norte e o Centro com 0,95, Lisboa e Vale do Tejo com 0,91, os Açores com 0,88, o Algarve com 0,83 e o Alentejo com 0,81.

No que se refere à notificação de novos casos de covid-19, todas as regiões portuguesas também apresentam um cenário favorável com uma taxa de incidência por 100 mil habitantes inferior a 120.

De acordo com o INSA, esta taxa é de 102,7 na Madeira, de 94,7 nos Açores, de 71,6 no Norte, de 63,9 no Algarve, de 48,4 em Lisboa e Vale do Tejo, de 44,8 no Alentejo e de 38,3 no Centro.

“Verifica-se que Portugal apresenta uma taxa de notificação acumulada de 14 dias entre 20 e 59,9 casos por 100 mil habitantes com tendência decrescente”, indica o relatório que, ao nível da situação europeia, refere que o país está na mesma situação da Finlândia, Islândia e Reino Unido.

Estes indicadores – o índice de transmissibilidade do vírus e a taxa de incidência de novos casos de covid-19 – são os dois critérios definidos pelo Governo para a avaliação continua que do processo de desconfinamento que se iniciou a 15 de março e que está na quarta fase de alívio das restrições.

Na quinta-feira, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, reiterou que o Governo solicitou aos especialistas de saúde pública uma nova apreciação sobre as regras do desconfinamento, tendo em conta a percentagem de pessoas que se prevê vacinadas contra a covid-19 no final deste mês.

O Governo estima que até ao final de maio todas as pessoas com mais de 60 anos tenham recebido pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19.

Em Portugal, morreram 16.989 pessoas dos 838.852 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste