A tragédia de Monchique já é visível do espaço (em atualização)

A Agência Espacial Europeia (ESA) disponibilizou na sua página do facebook uma imagem tirada ontem, dia 6, por um astronauta a partir da estação espacial, que mostra a dimensão do incêndio de Monchique.

Na fotografia é possível visualizar uma imensa coluna de fumo que se desloca até às praias do litoral algarvio, com a ponta de Sagres no canto inferior esquerdo.

Às 16h37, dezasseis meios aéreos, 1196 operacionais (dos quais 745 são bombeiros) e 358 viaturas estão a combater o incêndio. O fogo deflagrou na sexta-feira, dia 3 de agosto, na serra de Monchique.

O ponto da situação feito pelas autoridades revela que “regista-se em todo o perímetro fortes reativações que, associadas à intensidade do vento, tomam de imediato grandes proporções”.

Entretanto, o ministro da Administração Interna anunciou ao início desta tarde que a coordenação do incêndio vai passar a ser feita a nível nacional, na dependência direta do comandante nacional.

O incêndio continua com duas frentes: a de Casais e a da Barragem de Odelouca.  O fogo também já obrigou à retirada de pessoas das suas casas no concelho de Silves. O vento forte e errático tem sido o principal obstáculo dos bombeiros no terreno.

Cerca de 250 pessoas foram obrigadas a deixar as suas habitações. O presidente da Câmara de Monchique, Rui André, afirma que “menos de 10 casas de primeira habitação” foram consumidas pelas chamas.

Ao todo, o incêndio que lavra há cinco dias já destruiu mais de 17 mil hectares e provocou até ao momento pelo menos 30 feridos. Uma das vítimas é uma idosa de 76 anos que está hospitalizada em Lisboa.

Uma impressionante nuvem de fumo gigante cobre toda a serra até ao litoral.

Várias estradas estão cortadas ao trânsito, nomeadamente as que ligam a vila de Monchique à Fóia, à Nave e a São Marcos da Serra, assim como a que liga a Portela da Viúva à Foz do Besteiro.

Nuno Couto|Jornal do Algarve

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste