ADENE e 10 bancos facilitam crédito a IPSS e PME

Este financiamento de 70 por cento passa para os 50 por cento nas regiões do Algarve e de Lisboa, de acordo com as regras comunitárias para as regiões de não convergência.

A Agência para a Energia (ADENE) assina hoje um protocolo com 10 instituições bancárias para facilitar o acesso ao crédito para a instalação de projetos de solar térmico e aquecimento em instituições de solidariedade social e pequenas e médias empresas.

O protocolo, explicou à Lusa o secretário de Estado da Energia e Inovação, Carlos Zorrinho, garante 30 por cento do financiamento destes projetos por parte dos bancos, sendo que os restantes 70 por cento são financiados por fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

Os projetos – que podem ir dos “dez mil aos 50 mil euros” – são “cofinanciados em 70 por cento por fundos do QREN e os restantes 30 por cento são financiados pela instituição, que, no caso de ter necessidade, pode beneficiar das linhas de crédito que os bancos se comprometem a tornar disponíveis”, explicou o secretário de Estado.

No entanto, este financiamento de 70 por cento passa para os 50 por cento nas regiões do Algarve e de Lisboa, de acordo com as regras comunitárias para as regiões de não convergência.

Segundo Carlos Zorrinho, este programa do Governo, no valor de 50 milhões de euros, financiados pelo QREN, “vai permitir um investimento global de cerca de 70 milhões de euros e instalar cerca de 115 mil metros quadrados de painéis solares”.

“Neste primeiro aviso, vamos lançar, entre 19 de julho e 29 de outubro, uma primeira tranche de 21,5 milhões de euros, que equivale a 32 milhões de investimento”, adiantou o governante.

Para Carlos Zorrinho, esta é uma iniciativa “com grande benefício da eficiência energética do país e para as próprias instituições, porque elas poupam bastantes recursos do ponto de vista da energia, e com benefícios para o planeta e para a sustentabilidade”.

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste