Ambiente trava projeto turístico de 1.300 camas em cima das arribas

O loteamento turístico que está projetado para as arribas de Benagil, no litoral do concelho de Lagoa, obteve declaração de impacte ambiental “desfavorável”.

Praia da Marinha (Foto: RTA)

O projeto está previsto para “uma área próxima das praias de Benagil e da Marinha, a cerca de 300 metros da linha de costa”, tendo por isso merecido o parecer desfavorável da comissão de avaliação do estudo de impacte ambiental (EIA).

O objetivo do projeto de urbanização seria o da construção de um hotel, um hotel-apartamentos e um aldeamento turístico, num total de 1.279 camas.

A declaração revela que este projeto implicaria “um aumento em quase cinco vezes o atual volume de tráfego rodoviário naquela zona do litoral do concelho de Lagoa”.

Assim sendo, a comissão de avaliação do EIA, presidida pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, concluiu que “o projeto induziria impactes negativos muito significativos e não minimizáveis, consequência da sua não integração no padrão de ocupação do solo e do relevante aumento da pressão humana sobre este importante e sensível troço costeiro, afetando toda a linha de costa entre a praia do Carvalho e a Senhora da Rocha, aonde a capacidade de carga das praias, face aos atuais padrões de procura, se encontra esgotada”.

A declaração de impacte ambiental concluiu ainda que “foram verificados importantes impactes negativos decorrentes da forte intrusão visual que o empreendimento iria provocar numa das zonas do Algarve, que preserva os traços originais da paisagem costeira regional, cuja artificialização não se afigura justificada e cuja preservação se impõe igualmente face às atuais exigências ambientais e climáticas”.

O estudo remata que, a ser concretizado, seria de prever que os impactes do empreendimento teriam “repercussão negativa sobre a biodiversidade, atendendo a que a localização em causa integra a área geográfica de distribuição natural da espécie ‘Linaria algarviana’, espécie fortemente pressionada, exclusiva do Barlavento algarvio e detentora de estatuto legal de proteção,sendo em área contígua à da UP11 que ocorre um dos seus núcleos populacionais mais representativos”.

O Estudo de Impacte Ambiental do “Loteamento do NDT Nascente do PU da UP 11 do PDM de Lagoa” encontra-se disponível para consulta no portal Participa, em http://participa.pt/consulta.jsp?loadP=2251.

JA

Advertisements
albufeira -
Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste