Castro Marim: Sal inspira projetos e candidaturas

.

.

A Câmara Municipal de Castro Marim viu serem aprovadas candidaturas no âmbito dos fundos comunitários, através do PO CRESC Algarve 2020 e MAR 2020, que pretendem promover e valorizar o sal e a flor de sal tradicional produzidos no concelho.

Colocar o sal de Castro Marim à mesa de novas dezenas de restaurantes nacionais e internacionais é um dos principais objetivos da candidatura “Patrimónios de Castro Marim: Valorização e Promoção de Produtores Locais e Produtos Endógenos”, comparticipada pelo PO CRESC 2020, projeto PADRE, apoiada por Portugal e União Europeia, cofinanciada a 70% pelo FEDER.

As ações de valorização do sal e da flor de sal de Castro Marim passam pela iniciativa “Sal de Castro Marim à Mesa dos Restaurantes”, pela realização de uma Feira do Sal, em época alta, por uma Rota Gastronómica, mas também por estimular a comercialização através da realização de ‘business trips’ internacionais.

“Estas são ações que nos permitem realçar as qualidades globais dos produtos tradicionais, potenciando o desenvolvimento destas atividades e o aumento das cadeias de distribuição. Ao nível da comercialização, as ‘business trips’ permitem que se encetem novos laços e canais de distribuição internacionais, bem como a visita a mercados análogos para assimilar conceitos e ideias de negócio afetas aos recursos em questão”, refere a vice-presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, Filomena Sintra.

Com um caráter mais documental e patrimonial, a autarquia desenvolveu a candidatura “Salineiro – Uma profissão”, apoiada no âmbito do programa MAR 2020, cofinanciada a 85% pelo FEAMP. Daqui nasceu o documentário “Os Dias do Sal”, apresentado publicamente este verão e que revela, de uma forma muito autêntica, a identidade castro-marinense, profundamente ligada à exploração do sal, e que vai muito além da explanação da atividade salineira, procurando descortinar o sal que há nas vidas de quem entrega a vida a este produto.

A edilidade tem, ainda, desde janeiro de 2013 e cedidos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, o edifício da Casa do Sal e uma salina destina à valorização e promoção da atividade salícola, cuja exploração é realizada numa vertente predominantemente pedagógica relacionada ao sal, flor de sal, atividade salineira e profissão de salineiro. Aqui, as iniciativas são desenvolvidas pela empresa municipal Novbaesuris, no âmbito do contrato-programa com a câmara municipal, cuja exploração para fins educacionais e financiada pela mesma.

Em relação à Casa do Sal, agora com quatro anos, propriedade do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e que se encontra cedida ao Município de Castro Marim ao abrigo de um protocolo, a obra de requalificação levada a cabo pela câmara municipal permitiu que o edifício tivesse sido valorizado através de uma fiel e rigorosa recuperação com materiais e técnicas tradicionalmente características da região. O projeto de execução foi realizado no âmbito do projeto “Sal do Atlântico” Interreg III B, Arco Atlântico e a obra co-financiada pelo projeto PROMAR. Este equipamento cultural é um polo dinamizador da cultura e da valorização e promoção da salinicultura tradicional, com diversas áreas funcionais, tendo como objetivo promover atividades sociais, culturais e recreativas. É, sobretudo, um espaço que se pretende dinâmico e próximo da comunidade.

Ainda no âmbito da promoção do sal tradicional, a Câmara Municipal de Castro Marim contribuiu para agregar a documentação necessária para a construção do dossiê de candidatura à DOP (Denominação de Origem Protegida), assessorada tecnicamente por entidades externas, estando o término do processo em vias de ser submetido por um agrupamento de produtores.

Existem, ainda, na autarquia outras orientações para o setor, designadamente ao nível da cerificação em termos biológicos e da criação de apoios a micro empresas no polo incubador.

Advertisements
albufeira -
Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste