ALGARVE ÚLTIMAS

Centro de São Brás ganha mais áreas pedonais

.
.

.

São Brás de Alportel inaugurou no último sábado a requalificação da Rua Gago Coutinho, localizada no centro histórico da vila, uma intervenção que visou a ampliação das áreas pedonais acessíveis, a instalação de novo mobiliário urbano e o ordenamento do estacionamento automóvel.

No dia da inauguração da obra, a rua foi invadida por música, com a participação do Conservatório d’Artes e de arte com a apresentação do ilustrador Filipe Coelho, que está a desenvolver um projeto artístico para embelezar ainda mais a rua. Trata-se de uma intervenção realizada “para valorizar o património, ordenar o trânsito e tornar esta via acessível a todos, incluindo aqueles que têm a sua mobilidade condicionada”, frisam os responsáveis autárquicos.

Quatro meses após o início das obras, a Rua Gago Coutinho foi percorrida pelos munícipes e pelo executivo municipal para conhecer as melhorias realizadas e que representam a segunda fase do “Projeto de Requalificação do Largo de São Sebastião e Rua Adjacentes”, integrado no Plano de Ação e Regeneração Urbana (PARU).

Os trabalhos incluíram ainda a remodelação da rede de drenagem de pluviais com localização de novos sumidouros e melhoramento das redes existentes, a substituição dos lancis existentes, a instalação de sinalização horizontal e vertical, bem como o enterramento de cabos elétricos para devolver à rua a sua identidade.

No espírito do plano “São Brás Acessível para todos”, esta requalificação permitiu tornar acessível esta rua a todas as pessoas que se deslocam com mobilidade condicionada, mediante a eliminação de barreiras arquitetónicas e a execução de todos os pavimentos de nível.

A faixa de rodagem é agora totalmente em calçada, mantendo as características do centro histórico, enquanto os passeios rebaixados, em calçada miúda, sem qualquer barreira arquitetónica, apresentam com um circuito em laje de pedra totalmente acessível, e em sintonia com os trabalhos já realizados no Largo de São Sebastião. Foi ainda instalado mobiliário urbano no mesmo alinhamento.

Uma intervenção que contou com um investimento total de 126.516,16€ (com IVA), com um financiamento comunitário na ordem dos 65%. A autoria do projeto cabe à arquiteta paisagista Amélia Santos, que em continuidade com a intervenção no Largo de São Sebastião, de modo a valorizar o património cultural imaterial, nomeadamente a Procissão de Aleluia, eterniza a festa rainha da terra em forma de calçada artística, que poderemos apreciar no local.

Melhorias explicadas e apresentadas à população que ao longo da Rua Gago Coutinho foi assistindo a vários momentos culturais de artísticos e musicais, proporcionados pelo Conservatório D’Artes, instalado nesta rua, e pela Associação de Designers do Sul.

“Tornar esta rua numa galeria de arte ao ar livre” é uma das ambições relevadas pelo presidente da Câmara, Vitor Guerreiro, para esta rua. Para o efeito, a autarquia desafiou o ilustrador Filipe Coelho a inspirar-se no centro histórico de São Brás de Alportel e a criar pequenas obras que vão decorar as caixas elétricas instaladas na rua para poderem dar resposta às necessidades atuais energéticas dos residem e dos que se estão a preparar para residir nesta zona nobre são-brasense.

Vitor Guerreiro explicou durante a inauguração que esta requalificação “acompanha a aposta que está a ser feita ao nível dos privados na área da recuperação de casas do centro histórico, construindo hoje o futuro do nosso concelho e honrando os nossos antepassados pretende-se reavivar este espaço ex-líbris são-brasense”.

Marlene Guerreiro, vice-presidente da autarquia, com o pelouro do Património, lembrou a relevância histórica da rua que deve o seu nome ao navegador Gago Coutinho, com raízes familiares no concelho são-brasense e que em 1922 cruzou em hidroavião ao Atlântico Sul.

Acácio Martins, vereador com o pelouro do Urbanismo, explicou os detalhes e objetivos do projeto técnico, ora concretizado: “Melhor mobilidade e acessibilidade para todos os cidadãos e mais segurança rodoviária foram as prioridades desta obra concebida tendo por base a necessidade de preservação da identidade e do espírito do lugar”.

O projeto de requalificação do Largo de São Sebastião contempla, ainda, uma terceira fase, que “será executada no próximo ano e que consistirá na requalificação do quarteirão sul da Avenida da Liberdade”, recordaram os responsáveis autárquicos.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste