ALGARVE

Cruzeiro fluvial da Eurocidade do Guadiana inaugura nova rota

eurocidade barco 11
Créditos fotográficos: Gonçalo Dourado.

O cruzeiro fluvial da Eurocidade do Guadiana, da empresa “Transporte Fluvial do Guadiana”, inaugurou esta quarta-feira de manhã uma nova rota que percorre as águas dos municípios de Vila Real de Santo António, Castro Marim e Ayamonte, com a participação de agentes turísticos, culturais e institucionais.

Foi desde o cais de embarque de Ayamonte (Espanha), do outro lado da margem do Guadiana, em frente a Vila Real de Santo António, que partiu o cruzeiro fluvial da Eurocidade do Guadiana para a sua nova rota turística.

Depois da higienização das mãos à entrada e com a máscara corretamente colocada, os agentes turísticos, culturais e institucionais tiveram a oportunidade de usufruir de um passeio de cerca de duas horas.

eurocidade barco 7
Créditos fotográficos: Gonçalo Dourado.

Durante o percurso, pode ser observada toda a paisagem dos municípios de Ayamonte, Vila Real de Santo António e de Castro Marim, que conjugam os cenários urbanos com as paisagens naturais.

Um dos momentos altos do passeio é a passagem por debaixo da Ponte Internacional do Guadiana, cuja obra ficou concluída nas últimas semanas e deu uma nova imagem à infraestrutura.

Cooperação Transfronteiriça

“Este é o melhor exemplo de uma atividade de cooperação transfronteiriça”, começa por dizer o presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Luís Romão.

Para o autarca, o rio Guadiana, que o barco atravessa, é “o elemento de ligação da Eurocidade” e das “atividades que se desenvolvem neste espaço”.

Luís Romão considera que a cooperação transfronteiriça é “uma colaboração que já existe há muito tempo entre portugueses e espanhóis”, que agora é sustentada “por uma entidade que tem uma responsabilidade acrescida, porque é um Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial”.

eurocidade barco 8
Francisco Amaral e Luís Romão. Créditos fotográficos: Gonçalo Dourado.

Segundo o presidente da autarquia do sotavento algarvio, esta colaboração “dá um outro potencial” à Eurocidade do Guadiana para prosseguir com projetos e dá também “algum sustento às atividades empresariais” para que a sociedade civil desenvolva iniciativas de turismo, cultura e gastronomia.

Para o presente e para o futuro, a Eurocidade do Guadiana tem uma estratégia de promoção turística do território, que para o também diretor da entidade “tem de ser feita a três e não a um”.

“Temos três municípios e dois países, mas o destino tem de ser único. Temos de começar a derrubar aquele conceito de que há uma rivalidade entre portugueses e espanhóis. Os dois povos só ganham se estivermos unidos e a trabalhar em conjunto”, acrescenta.

Luís Romão considera que a Eurocidade do Guadiana “tem um potencial enorme para o desenvolvimento sustentado do território, não apenas no turismo”, mas também em outras áreas.

No entanto, salienta que “é necessário que os três municípios, em termos políticos, tenham essa visão preocupação e capacidade de trabalhar em conjunto e de derrubar algumas barreiras naturais que existem”.

Já a vereadora espanhola Remedios Sanchez, espera que, no futuro, a Eurocidade do Guadiana “esteja no centro do mapa europeu” e que traga “muitos projetos para este cantinho do sul”.

eurocidade barco 10 ponte guadiana
Ponte Internacional do Guadiana. Créditos fotográficos: Gonçalo Dourado.

Para o presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, Francisco Amaral, este foi um dia de “fazer justiça” com o reforço de “um grande intercâmbio cultural, desportivo, social e empresarial”.

“Temos de saber vender este destino turístico. Há estudo que apontam para que, em 2050, a zona mais com mais população da Europa seja o sul de Portugal e de Espanha. Isso deve-se à paz, tranquilidade, praias e gastronomia e, como tal, temos de saber vender este produto”, refere o autarca.

O presidente pretende ainda “que as empresas e os cidadãos se juntem ao movimento da Eurocidade do Guadiana”, que deu mais um passo com a inauguração do primeiro produto turístico da entidade, que “promete ser um sucesso”.

Francisco Amaral tomou posse em junho como presidente da Eurocidade do Guadiana e, nos próximos dois anos, compromete-se a empenhar-se “para reforçar este destino e esta ligação, que apesar de ser sentimental, tem de passar a ser social e económica”.

“É com expectativa e esperança que eu vejo que a Eurocidade do Guadiana tem um futuro risonho e é isso que vai acontecer”, conclui.

eurocidade barco 3
Créditos fotográficos: Gonçalo Dourado.

Esta empresa de transporte fluvial foi uma das vencedoras do I Prémio de Cooperação Transfronteiriça da Eurocidade do Guadiana, entregue este ano.

“São, de facto, o melhor exemplo daquilo que é a cooperação transfronteiriça ao longo dos anos”, refere Luís Romão acerca da empresa.

A inauguração da rota contou com a participação do presidente da Eurocidade do Guadiana e de Castro Marim, Francisco Amaral, do diretor da mesma entidade e presidente de Vila Real de Santo António, Luís Romão, da vereadora da Cultura e Cooperação Transfronteiriça da Câmara Municipal de Ayamonte, Remedios Sanchez, representantes de empresas turísticas e agentes culturais.

eurocidade barco 9
Créditos fotográficos: Gonçalo Dourado.

A cada terça-feira, entre julho e agosto, a embarcação turística avança pelo rio Guadiana pelas 18:30, do cais de Vila Real de Santo António, com um valor de 13 euros por pessoa, que inclui snacks e bebidas.

Os bilhetes podem ser adquiridos antes de entrar no barco, mas podem ser reservados através do telefone +34959 47 06 17.

eurocidade barco 6
Créditos fotográficos: Gonçalo Dourado.
PUB
Tamanho da Fonte
Contraste