DESPORTO

Farense derrotado no regresso à I Liga

O Farense perdeu o jogo de ontem contra o Moreirense, com um resultado de 2-0 no regresso da equipa à I Liga de futebol 18 anos depois, em Moreira de Cónegos.

Os golos de Fábio Abreu aos 2 minutos e de Pedro Nuno aos 55, enquanto o Farense jogou em inferioridade numérica desde os 49 minutos, por expulsão direta do guarda-redes Rafael Defendi, e situam-se no fundo da classificação, em conjunto com Vitória de Guimarães, Sporting de Braga, Marítimo e Famalicão.

O arranque auspicioso do Moreirense ainda englobou um remate torto de Pedro Nuno, aos quatro minutos, mas os pupilos de Sérgio Vieira, com cinco caras novas no onze, equilibraram a luta territorial pela bola e espreitaram o empate aos 10, num cruzamento de Fábio Nunes desviado à barra por Stojiljkovic, embora em posição irregular.

Ao adotarem uma postura conservadora na gestão da vantagem, os cónegos viviam das transições finalizadas por Pedro Nuno, aos 28 e 34 minutos, ambas à figura de Rafael Defendi, enquanto se submetiam à pressão alta dos algarvios, que voltaram a abanar os ferros da baliza de Mateus Pasinato, aos 27, numa jogada de Ryan Gauld pela direita.

Até ao intervalo, a dinâmica do Farense traduziu-se em novo remate do médio escocês para as mãos do guarda-redes caseiro, aos 31 minutos, e num tiro desenquadrado de Lucca em zona frontal à meia volta, aos 39, antecipando uma etapa complementar de tração ofensiva dos visitantes, mas que, num ápice, se transformou em pesadelo.

Aos 49 minutos, Pedro Nuno aproveitou um passe longo de Mateus Pasinato e apareceu isolado na cara de Rafael Defendi, que saiu da baliza para tentar evitar o perigo, tocou a bola com a mão fora da área e recebeu ordem de expulsão, obrigando Sérgio Vieira a reorganizar a disposição tática de uma equipa sem a mesma capacidade de reação.

Com a tarefa facilitada, os vimaranenses revelaram maior conforto na invasão ao último terço e demoraram seis minutos a duplicar a contagem por Pedro Nuno, a encostar em zona frontal uma investida desenhada pelos pés de Filipe Soares, Fábio Abreu e Alex Soares, cuja posição demorou quatro minutos a ser validada pelo videoárbitro.

O avanço do relógio acentuou a fadiga e diminuiu o discernimento do Farense, a desesperar por soluções que colocassem em sobressalto o Moreirense, quase sempre organizado a defender e perigoso quando dispunha de espaço para contra-atacar, como atestou o golo desperdiçado por Fábio Abreu aos 71 minutos.

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: