Governo promete mais vigilantes da natureza para o Algarve

O Governo promete alargar em 2019 o número de vigilantes da natureza no Departamento de Conservação da Natureza e Florestas (DCNF) do Algarve. A meta foi a adiantada ao PCP, na semana passada, depois de os comunistas terem pedido esclarecimentos sobre a carência de recursos humanos neste departamento regional ao Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Na resposta, o Governo refere que tenciona reforçar o número de vigilantes da natureza no Algarve, adiantando que, para 2019, em todo o país, está prevista a contratação de 25 novos elementos para reforço do quadro do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), que serão afetos aos serviços regionais.

O Governo lembra ainda que, no final de 2015, existiam apenas 13 vigilantes da natureza no DCNF Algarve, sendo que, neste momento, esse número mais do duplicou, para 29. Relativamente ao Corpo Nacional de Agentes Florestais, o Governo adianta que tenciona admitir 45 novos elementos durante o ano de 2019, “prevendo-se que 15 destes elementos fiquem afetos ao DCNF Algarve”.

Este departamento regional tem como área de jurisdição o Parque Natural da Ria Formosa, o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e a Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

Segundo o PCP, “apesar do reforço realizado em 2018, o número de vigilantes da natureza ainda não é o adequado, sendo necessário prosseguir com a contratação destes profissionais, imprescindíveis para assegurar os objetivos de preservação e conservação da natureza e da biodiversidade, bem como a prevenção de fogos florestais”.

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste