PCP defende continuidade dos trabalhos arqueológicos no castelo de Paderne

.

Os trabalhos arqueológicos desenvolvidos na colina do castelo de Paderne (concelho de Albufeira), desde os anos 80, já permitiram identificar inúmeros vestígios que vão desde o século XII (período medieval islâmico – almóada) ao século XVIII (período moderno). Estruturas fortificadas, edifícios habitacionais, uma igreja e um conjunto diversificado de materiais, já foram identificados neste local e cronologicamente enquadrados.

Nesse sentido, o PCP defende a continuidade destes trabalhos arqueológicos, “quer no interior do castelo, quer na colina onde este se encontra situado, revelando, em toda a sua plenitude, o valioso património arqueológico existente neste local”.

No passado dia 16 de julho, o deputado Paulo Sá, acompanhado por representantes da Direção Regional de Cultura do Algarve, visitou o castelo de Paderne, onde decorrem atualmente obras de conservação e restauro da torre albarrã, um projeto que esteve bloqueado entre 2010 e 2017 por falta de financiamento. Mais tarde, estão também previstas obras no alçado nascente da muralha, para as quais já existe financiamento.

Após esta visita, o deputado comunista questionou o ministro da Cultura sobre a necessidade de completar as escavações arqueológicas no castelo de Paderne, alargando-as à colina onde este se situa.

JA

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste