DESPORTO FUTEBOL

Portimonense vence Marítimo no Funchal

O Portimonense venceu hoje pela primeira vez na I Liga portuguesa de futebol, ao bater o Marítimo, por 2-1, no Funchal, numa partida da quarta jornada em que os locais estiveram na frente do marcador.

O brasileiro Rodrigo Pinho inaugurou o marcador aos 51 minutos, na transformação de um penálti, mas os seus compatriotas Dener, aos 69, e Anderson, aos 74, deram a volta ao marcador.

Com este resultado, o Marítimo manteve-se com seis pontos, perdendo a possibilidade de se juntar provisoriamente ao líder Benfica, enquanto o Portimonense passou a somar quatro.

As duas formações chegaram ao embate em situações opostas, o Marítimo moralizado por duas vitórias consecutivas, com Tondela (2-1) e FC Porto (3-2), enquanto a turma de Portimão vinha de duas derrotas, perante Gil Vicente (1-0) e Sporting (2-0). 

Lito Vidigal perdeu duas peças valiosas na semana seguinte à histórica vitória no Estádio do Dragão, com a venda de Nanu (FC Porto) e Getterson (Al-Ain, da Arábia Saudita), e apostou em Edgar Costa e Jefferson para colmatar as duas saídas.

O Portimonense igualou o número de ‘mexidas’ na equipa inicial, com Paulo Sérgio a apostar na entrada de Pedro Sá e Welinton Jr., para a saída de Beto e Lucas Tagliapietra.

O único lance de perigo da primeira metade foi protagonizado pela equipa da casa, à passagem do minuto 18, com Correa a percorrer o corredor esquerdo a toda a velocidade para servir Jefferson, com Samuel e, depois, Maurício a salvarem.

Logo ao início da etapa complementar, Marcelo Hermes acertou na barra, num remate de longa distância, Cláudio Winck, na recarga, obrigou Samuel a uma defesa atenta, mas o esférico continuou em jogo, com Fali Candé a desviar com a mão.

A respetiva grande penalidade foi assinalada e convertida,aos 51 minutos, por Rodrigo Pinho, que se destacou ainda mais como melhor marcador da prova, agora com cinco golos.

A resposta do Portimonense não tardou, com Dener a encher o pé, num remate do ‘meio da rua’, obrigando Amir a uma excelente intervenção para negar o golo do empate.

O conjunto de Portimão subiu as linhas e acabou por ser eficaz à passagem do minuto 69, quando restabeleceu a igualdade, na sequência de um canto, por intermédio de Dener.

A formação da casa não se refez do golo e acabou por consentir o segundo poucos minutos depois, aos 74, pelo recém-entrado Anderson, que encostou, na pequena área, em resposta a um cruzamento de Aylton Boa Morte da esquerda.

O jogo subiu de intensidade e, aos 73 minutos, Jean Irmer, depois de um erro defensivo dos visitantes, rematou à entrada da grande área para a defesa de Samuel.

O Marítimo continuou na procura do golo e, em cima dos 90 minutos, o iraniano Alipour, que saltou do banco para se estrear com a camisola madeirense, serviu Correa, para nova grande defesa do guarda-redes dos algarvios.

Já nos descontos, num dos últimos lances do encontro, o lateral esquerdo Marcelo Hermes caiu na área, em jogada com o japonês Koki Anzai, mas o árbitro nada assinalou, nem o VAR, apesar dos protestos da equipa da casa.

Jogo no Estádio do Marítimo.

Marítimo – Portimonense, 1-2.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

1-0, Rodrigo Pinho, 51 minutos (grande penalidade).

1-1, Dener, 69.

1-2, Anderson Oliveira, 74.

Equipas:

– Marítimo: Amir, Cláudio Winck, René Santos, Zainadine (Milson, 83), Lucas Áfrico, Marcelo Hermes, Edgar Costa (Pelágio, 65), Jean Irmer, Correa, Rodrigo Pinho (Joel, 83) e Jefferson (Alipour, 46).

(Suplentes: Caio Secco, Kerkez, Jean Cléber, Milson, Bambock, China, Pelágio, Alipour e Joel).

Treinador: Lito Vidigal.

– Portimonense: Samuel, Koki Anzai, Willyan, Maurício, Fali Candé, Dener, Pedro Sá, Lucas Fernandes (Fernando, 90+4), Aylton Boa Morte (Henrique, 88), Fabrício (Vaz Tê, 89) e Welinton Jr. (Anderson Oliveira, 65).

(Suplentes: Gonda, Lucas Possignolo, Anderson Oliveira, Vaz Tê, Beto, Júlio César, Henrique, Luquinha e Fernando).

Treinador: Paulo Sérgio.

Árbitro: João Bento (Santarém).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Rodrigo Pinho (15), Jefferson (43), Pedro Sá (82), Cláudio Winck (87).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: