ALGARVE Primeira REPORTAGEM

Produtores algarvios mostram os seus vinhos em Lisboa

.

Vários produtores algarvios deram a conhecer os vinhos do Algarve na sétima edição do Mercado de Vinhos, que decorreu até ao passado domingo na praça de touros do Campo Pequeno, em Lisboa, e que, além das mostras de vinhos, incluiu, ainda, espetáculos e exposições.

O evento já vem sendo um local de referência para a apresentação dos vinhos do Algarve e, se há dois anos o Algarve foi a região convidada em destaque, continua a ser uma montra importante na qual a Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA) marca presença com um espaço próprio e uma localização privilegiada. Este espaço é, depois, cedido aos produtores interessados em promover os seus vinhos num evento vínico de grande destaque em Lisboa e igualmente a nível internacional.

O número de expositores total ronda os 160. Se na abertura, à sexta-feira, é já notória a concentração de pessoas, essa sensação ultrapassa quase o limite do razoável no fim de semana, com filas à entrada na bilheteira. Por isso, a CVA considera importante a presença dos vinhos do Algarve neste certame, que ainda por cima tem o mote de “Pequenos Produtores, Grandes Descobertas” que é, de forma geral, o que sucede no Algarve, sendo também por isso que a organização acarinha a presença da região algarvia.

Esta sétima edição do evento teve o Dão em destaque – decorrem este ano as comemorações dos 110 anos da sua demarcação como região vitivinícola – e como principal novidade as “Conversas e um copo de Vinho”, no qual vários convidados subiam ao palco do pequeno auditório no centro da arena, para conversar sobre vinho, contando as suas experiências e vivências.

Um desses oradores foi o produtor Luís Chaves, do Barranco do Vale, que falou do seu projeto no Algarve e da casta negra mole, com a qual faz um dos seus vinhos – um rosé – que teve bastante sucesso no seu ‘stand’, exatamente pela diferença e pela experiência única que é provar um vinho com uma casta única no mundo. Este fator de diferenciação é importante porque o evento tem imensos turistas, visitantes e imprensa estrangeira e todos são unânimes em confessar que o que lhes interessa é conhecer vinhos exclusivos, com particularidades únicas do seu ‘terroir’, assim como histórias e vivências associadas aos vinhos, produtores ou às suas propriedades e vinhas.

Pelo ‘stand’ do Algarve passaram os produtores dos Vinhos Malaca, da Herdade dos Pimentéis, a já referida Herdade do Barranco do Vale e, também, representantes da Casa Santos Lima, que levou uma ampla gama dos seus vinhos algarvios. “O projeto da Casa Santos Lima está a correr bem no Algarve, com tendência para crescer, sendo que a certificação Algarve e o nome em si nos rótulos é um fator de atratividade, sobretudo no Reino Unido”, confessou Soraia Inês.

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: